Crítica de Fernando Melo: Restaurante O Lado Bértolo, Lisboa

Há muito de «lado B» no trabalho continuado e invisível do chef Miguel Bértolo. Pode bem ter sido isso que o conduziu a chamar O Lado Bértolo a esta nova ventura étnica, após o feito de conseguir um brilhante segundo lugar no concurso mundial de sushi no Japão. Cabe-nos agora descobrir.

O apoio da Associação dos Cozinheiros Profissionais de Portugal (ACPP) foi determinante para o êxito a que Miguel Bértolo chegou, mas os louros, as mãos e o talento são indiscutivelmente seus. Ombreou na prova de sousaku no World Sushi Cup 2017 com os melhores, com um sushi set que para mais se chama Descobrimentos (14,90 euros) e que agora disponibiliza no restaurante Lado Bértolo, em São Domingos de Benfica.

O espaço é despretensioso e aberto a todos. Quem se lembra do Sushill Out já sabe onde fica, perto do Hospital dos Lusíadas. O chef Bértolo tomou o lugar como seu para desenvolver o seu trabalho. A exploração principal, aconselhável nas primeiras visitas, é por combinações. Longe de todo o radicalismo, Bértolo proporciona sublimidade em três grupos, cada um com três pratos diferentes.

O primeiro é livre de formalismos e inclui por exemplo a criação improvável (14,90 euros), que consta de quatro rolos de sushi, dois nigiri, dois gunkan, ceviche, frasco de conserva de salmão e salada nanban, reunindo sabores e técnicas japoneses, peruanos e mediterrâneos. O segundo grupo tem o incontornável set sushi mencionado atrás, mas é de juntar também o set sashimi (8,90 euros) de nove peças produzidas a partir de três peixes diferentes, ao nível do melhor que encontramos em trabalho perfeito de lâmina, frescura irrepreensível. No terceiro grupo encontramos pratos quentes e temos uma abordagem diferente à presença de Portugal no Japão, Petiscar Portugaru (13,90 euros), composto de sopa miso shiro, duas espetadinhas, duas gyoza, três tempura, puré de batata- doce e beterraba, especialidades agrupadas de forma pouco frequente.

À carta montamos a nossa própria refeição, a preços francamente acessíveis, sabores conseguidos e firmes. Só a visita recorrente e em boa companhia permite revelar o ecletismo e diversidade. O lado pedagógico do chef Miguel Bértolo, que dá formação a cozinheiros em contínuo na ACPP, é estruturante tanto para não iniciados como para os mais experientes. Lê-se na carta o que é a arte de realçar o que a natureza oferece, e é isso que se sente a cada passo. Acompanhar a natureza é em si mesmo um capricho e não se pode esperar que esteja tudo sempre disponível, há que acompanhar o fluxo de produto e da máxima frescura. Tem uma brigada bem treinada, este Lado Bértolo, trabalho imaculado de cozinha, acompanhamento brilhante à mesa.

É bom ser bem tratado, melhor ainda sentir a sofisticação assim acessível. E porque é sempre tempo de aplaudir os bravos, parabéns Miguel Bértolo. E obrigado.

Classificação:
O espaço: 3,5
O serviço: 4
A comida: 4,5

A refeição perfeita:
Ceviche de salmão e choco (7,50 euros)
Set sashimi (8 euros)
Petiscar Portugaru (13,90 euros)
Creme de sésamo caramelizado (3,90 euros)

Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Urbanização Alto dos Moinhos, Rua Mário de Azevedo Gomes, Loja 3C
Telefone
216042860
Horário
Das 12h00 às 15h00 e das 19h30 às 22h30. Sexta e sábado até às 23h00. Encerra ao domingo.
Custo
(€€) Preço médio: 22 euros

Website
Email
geral@oladobertolo.pt

GPS
Latitude : 38.748427
Longitude : -9.177225000000021

 

Leia também:

Crítica de Fernando Melo: Restaurante Pesca, Lisboa
Crítica de Fernando Melo: restaurante Mesón Andaluz
Crítica de Fernando Melo: Restaurante Kanazawa, Algés