Bowls, croissants e vinho: o que se come no RIR

Nem só de música se faz o Rock In Rio Lisboa, que decorre dias 23, 24, 29 e 30 de junho no Parque da Bela Vista, em Lisboa. Em matéria de comes e bebes, este ano há novos sabores que valem a pena uma visita e que fogem ao que é óbvio nos festivais de verão.

Seja para jantar, para lanchar ou para passar o final da tarde, este ano o recinto do Rock In Rio Lisboa conta com novas propostas para quem quer evitar os hambúrgueres, bifanas, pizas e cervejas. Uma das estreias absolutas surge logo à entrada e junta bowls (taças) leves e frescas e croissants de produção artesanal e limonadas.

As bowls foram o conceito criado pelo recente restaurante Casa de Pedra (que vai estar aberto todo o ano após o Rock In Rio) para chegar aos visitantes do festival. Há três sabores. A de frango caesar leva arroz integral, frango, abacate, cebolinho, amêndoas torradas e molho caesar; a de atum é feita com arroz integral, atum, pepino, ceboleto, goma wakame, caju tostado e molho ponzu e a vegetariana tem arroz, alface iceberg, tomate, abacate, cebolinho, amêndoa tostada e molho vinagrete.

Qualquer uma custa 7 euros, e se for pedida com bebida (refrigerante, cerveja, sidra) custa 8 euros. Diogo Crespo, responsável pelo espaço, chama a atenção para o facto de as embalagens e talheres serem todas recicláveis, espelhando a preocupação em tornar o evento o mais amigo do ambiente possível. Os copos do festival, por exemplo, são reutilizáveis.

Ao lado, no mesmo espaço ao ar livre coberto por lonas brancas e luzes à noite, vendem-se os croissants da famosa pastelaria de Campo de Ourique O Moço dos Croissants. São também feitos segunda a técnica artesanal, que faz com que possam demorar até 60 horas para que estejam prontos para consumo, e podem pedir-se mistos, com doce de ovo ou chocolate na companhia de limonada simples, de gengibre e hortelã ou de frutos vermelhos. O menu custa 5 euros.

Já noutra zona do vasto recinto do Rock In Rio encontra-se, pelo segundo ano, o espaço Wine Experience, da Viborel, distribuidor que representa seis produtores de vinho do Douro, Alentejo, Península de Setúbal e Trás-os-Montes. A proposta, ali mesmo em frente ao EDP Rock Street, é provar vários vinhos tintos, brancos, rosés e espumantes a copo ou em garrafa, com preços a partir dos 4,50 euros (150 ml), a que acresce uma caução pelo copo de 50 cêntimos na primeira compra.

No espaço lounge com mesas altas e cadeiras, reservado aos clientes e convidados, decorrem também provas conduzidas por especialistas, para dar a conhecer sete colheitas e que podem custar 15 ou 25 euros. Decorrem todos os dias do festival das 17h00 às 20h00, sempre com a duração de 20 minutos e para um mínimo de cinco pessoas.

O Rock In Rio Lisboa 2018, que se assume como «o maior festival de música do mundo», vai receber artistas nacionais e internacionais ao longo dos dias 23, 24, 29 e 30 de junho, e tem várias áreas de comida, bebida, diversão e marcas distribuídas pelo recinto, no Parque da Bela Vista. Este domingo o festival está esgotado com a presença esperada de 85 mil pessoas.

 

Leia também:

10 dias, 10 chefs: festival mostra o melhor dos Açores
Portugal vai ter uma mega festa com música dos anos 90
Coimbra: este festival de jazz enche escadas até setembro