Vela Latina: a nova vida de um clássico de Lisboa

Salvador Machaz herdou o restaurante do pai, uma autêntica instituição lisboeta, e com ajuda de dois sócios deu-lhe uma nova vida. O Vela Latina está irreconhecível e traz agora um inquilino, o restaurante peruano Nikkei.

Para um restaurante, os 30 anos podem significar o início da terceira idade. Principalmente numa cidade com a dinâmica atual de Lisboa. Assim, não admira que o Vela Latina, de portas abertas desde 1988, começasse a apresentar sinais sérios de velhice e desadequação aos tempos modernos, pese uma clientela fiel, habituada à cozinha de Benjamim Vilaças, o histórico chefe da casa.

O Vela Latina está totalmente renovado, com mais cor e novo mobiliário. (fotografia: DR)

Salvador Machaz tinha perfeita consciência disso. Por isso, quando herdou o restaurante do pai, pensou de imediato em modernizá-lo. Mas mais do que lhe mudar a essência, quis mudar-lhe o aspeto. Objetivo: atrair gente mais jovem, de dia e de noite, mantendo, ao mesmo tempo, os clientes de sempre. E assim fez. Porém, fê-lo acompanhado. Falou com o Jorge Leote e a mulher Viviane, donos do grupo Confraria — responsáveis pelos restaurantes homónimos em Cascais e Lisboa, e pelo Waka, em Cascais — e avançaram para uma sociedade.

Viviane foi a cirurgiã responsável pela plástica ao espaço. E fez um belíssimo trabalho, diga-se: o Vela Latina está quase irreconhecível, muito mais próximo de um restaurante recém-nascido do que com um da sua idade. A madeira omnipresente, os atoalhados brancos e o mobiliário clássico, deram lugar a cores fortes, de tons azulados e esverdeados, mesas e cadeiras de linhas contemporâneas, muita vegetação e fauna nas paredes e um enorme destaque para o bar, à entrada, onde também há novidades para provar ao nível dos cocktails.

Um dos clássicos de Benjamim Vilaças: arroz de coentros com lagosta. (fotografia: Tiago Pais)

A ementa não passou intocável à renovação mas quase. Os clássicos de Benjamim Vilaça continuam a ler-se por lá, devidamente assinalados com um asterisco. São os casos dos filetes de pescada com risoto de alcachofras (22,50€), o arroz de coentros e lagosta (29,50€) ou os fígados de aves em tarte de maçã (19,50€).

A grande novidade — gastronomicamente falando — está na segunda sala do Vela Latina que acolhe agora um conceito completamente diferente: o Nikkei, um restaurante especializado na cozinha peruana de influência japonesa que nos primeiros tempos funcionou apenas em formato menu degustação por 35€ mas cujo serviço a la carte é lançado já esta terça-feira. Esperem-se os ceviches, os tiraditos e outras criações que têm feito sucesso ao longo do último ano e meio no Waka, restaurante com um conceito semelhante, que Viviane e Jorge abriram em Cascais há cerca de ano e meio.

Vela Latina

Doca do Bom Sucesso, Belém, Lisboa
Tel.: 213 017 118
Todos os dias, das 12h00 às 23h00 (sextas e sábados o bar funciona até às 02h)
Preço Médio: 40 euros
Site: velalatina.pt