Lisboa: os vinhos entram em cena no Teatro Tivoli

Um pouco por todo o país, os vinhos nacionais dão-se a mostrar e a provar, porque não basta mais apenas bebê-los. No evento Vinhos em Cena, entre 23 e 26 de março, o teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, é todo deles e para eles.

Música, humor, provas comentadas, demonstrações ao vivo ou a possibilidade de conhecer e trocar dois dedos de conversa com entendidos nas várias matérias – não só dos vinhos, mas de tantas outras coisas que giram à sua volta, como é o caso da gastronomia –, sem esquecer o privilégio de ter acesso a zonas do próprio teatro normalmente interditas.

Estes são, para já, os pontos fortes daquela que será a primeira edição do Vinhos em Cena, em cartaz de 23 a 26 de março no Teatro Tivoli BBVA. A escolha deste local emblemático da cidade, declarado monumento de interesse público desde 2015, não aconteceu por acaso.

Como explica Paulo Dias, diretor-geral da UAU, a promotora de espetáculos proprietária do imóvel, a ideia partiu deles e insere-se numa estratégia «que quer primar pela diferença, transformando este teatro de 94 anos num espaço totalmente diferente. Agarrámos no tema do vinho por achar que a sua ligação ao mundo do espetáculo iria resultar em coisas interessantes, como, por exemplo, ter um enólogo e um alfaiate à conversa sobre texturas ou um humorista ou ainda duas conferências tecnicamente muito fortes em que se abordará o futuro das rolhas e as implicações das alterações climatéricas.»

Para levar a iniciativa a bom porto, a UAU conta com a expertise de Mário Louro, enólogo e formador, e de quarenta produtores, além de críticos, músicos, chefs, entre outros. Não se trata de uma feira de vinhos, como faz questão de frisar Paulo Dias. Querem, isso sim, proporcionar experiências, abertas a entendidos e principiantes, a começar pelo facto de que, a pretexto dos vinhos, se poderá circular pelos bastidores do teatro, da plateia à cave, dos camarotes ao sótão: os produtores estarão espalhados pelos foyers e pelos corredores.

Provas, apresentações, workshops e reuniões de negócios terão lugar nos camarotes; as frisas, por sua vez, destinar-se-ão a degustações mais intimistas de combinações como ostras e champanhe ou foie gras com licorosos; já no sótão ficará instalado um wine bar para servir vinhos, tapas, queijos, enchidos, presuntos e azeites. Tudo isto permeado com muita conversa, apontamentos musicais e outros olhares (inclusive de fora) sobre o vinho que se faz e se bebe em Portugal.

Veja também:
Sete vinhos de norte a sul a não perder de vista em 2017
4 restaurantes em Lisboa onde o vinho é a estrela da casa
The Sandeman Chiado: Cocktails de vinho do porto para beber em Lisboa



CONTEÚDO PATROCINADO