Um japonês e um português fazem petiscos de fusão na ribeira do Porto

Na antiga rua de Agostinho da Silva nasceram as Conversas Vadias, o novo restaurante portuense onde a cozinha liga os dois países.

O nome que o português André, decorador de montras, e o japonês Yuga, artista plástico (e agora também ambos cozinheiros) escolheram para o seu restaurante faz sentido de mais do que uma perspetiva. Ele explica-se pelo espaço ter nascido na rua onde viveu Agostinho da Silva, protagonista do popular programa de televisão dos anos de 1990, Conversas Vadias.

Mas depois de se lá passar algum tempo, a ouvir contar como se cruzaram os caminhos de um português e de um japonês no Porto, por via de amigos e interesses comuns, entre eles um programa comunitário de rádio, percebe-se que aquele lugar convida a isso mesmo.

Entre a decoração criada pelos dois, graças aos tesouros que encontraram na autêntica gruta de Ali babá que foi o armazém de uma antiga firma de construção civil – com as cofragens que revestem a cozinha, as densas tábuas das mesas e as cadeiras de escola – cria-se um estado de paz e relaxamento. Ao qual se pode juntar a reflexão, caso se entenda folhear os livros e revistas de filosofia por ali espalhados.

Da cozinha, Yuga, que expõe na parede uma das suas obras de arte, vai trazendo pratinhos de ceviche, húmus de abacate, takoyaky tuga (um prato japonês reinventado com sardinha e molho verde), salada de pepino, dumpling de alheira e bifana japonesa (a nossa bifana com um molho agridoce), entre outras surpresas para partilhar. É um lugar para estar, a conversar e saborear, num daqueles recantos com alma do Porto.

Conversas Vadias

Rua d´O Comércio do Porto, 128 (Ribeira), Porto
Tel: 223244658.
Das 12h00 às 23h00. Encerra domingo.
Preço médio: 12 euros