Porto: no Espécie há comida vegetariana de autor (com influências do Mundo)

A entrada KFC (korean fried cauliflower): couve-flor frita em polme e envolvida num molho coreano picante. (Fotografia de José Carmo/GI)
Restaurante vegetariano de autor, o Espécie vem preencher uma lacuna na Baixa do Porto. Com carta pensada pelo chef João Pupo Lameiras, este é mais um projeto de Marta Almendra, proprietária do Cruel e do Boteco Mexicano.

Onde recentemente se instalou o Espécie funcionou até à pandemia o Ilegal, uma taqueria idealizada por Marta Almendra, também responsável pelos restaurantes Cruel e Boteco Mexicano. “Durante a pandemia fechei e depois abri só para grupos. Há dois meses decidi abrir aqui este vegetariano, com consultoria do João Pupo Lameiras”, conta.

Trata-se de uma aposta na comida de autor onde não entra proteína animal. “Na Baixa do Porto não havia um vegetariano assim. Há buffets e pratos vegetarianos que são imitações de comida tradicional portuguesa, mas esta lacuna estava por preencher. Além disso, a redução do consumo de carne é uma exigência do planeta.”

Marta convidou o chef Pupo Lameiras, que tinha sido já consultor da taqueria (e que é também consultor do LSD e responsável pelo RO e o Muro do Bacalhau), para elaborar uma carta que desse destaque aos elementos vegetais. “Faço aqui o que costumo fazer, mas a estrela em vez de ser a proteína animal é um vegetal específico. É uma carta de cozinha de autor com influência da gastronomia do mundo”, diz. Marta acrescenta que o objetivo é que os clientes saiam do restaurante “sem a sensação de que falta proteína animal”.

Houve a preocupação de que os pratos – mesmo não tentando fazer versões de outros já existentes – fossem mais ou menos familiares. “Não queríamos apresentar só ideias esquisitas”, admite o chef. “A ideia foi pegar num ingrediente, por exemplo, a couve-flor, e transformá-lo em algo bonito e saboroso. Fazer sempre alguma coisa que acrescente valor ao vegetal em questão”, diz Marta. Este conceito reflete-se em pratos como o caril de feijoca e batata-doce ou o bife de aipo bola, assado e caramelizado.

Muito sucesso está a ter o KFC (korean fried cauliflower), uma entrada de couve-flor, frita em polme e envolvida em molho coreano bem picante. Moqueca vegetariana com quiabo, algas e mini-milhos é outra das sugestões mais criativas e, de sobremesa, destaque-se a tarte de chocolate com gelado de pistáchio. Em breve, a carta vai sofrer algumas alterações, com mais comida de conforto para o outono. “A ideia não é fazer uma carta a partir da sazonalidade dos ingredientes”, sublinha Pupo Lameiras. Essa adaptação vai respeitar sempre o cliente, até porque há já pratos que estes “não deixam que saiam”.

A esplanada.
(Fotografia de José Carmo/GI)

O Espécie, que conta com uma sala no rés-do-chão e uma esplanada no piso inferior, está decorado com ilustrações do artista e músico portuense Miguel Ramos, que a convite de Marta desenvolveu um trabalho inteiramente dedicado a espécies vegetais. Além de decorarem as paredes, essas ilustrações deram origem ao Vegetalário, um menu-livro inspirado na obra do ilustrador espanhol Javier Sáez Castán Animalário universal do professor Revillod, onde é possível fazer combinações de partes de animais para criar animais novos. Mas aqui, tal como no resto, as estrelas são as espécies vegetais.

Partilhar
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua da Picaria, 84, Porto (Baixa)
Telefone
967 336 147
Horário
Das 12h30 às 23h; sexta e sábado, até às 23h30. Não encerra.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend