Sete quilómetros a pé pelo Alentejo

Na zona de transição entre o Alentejo e a Beira, um percurso pedestre que junta o melhor de dois mundos, num passeio em que a história espreita a cada passo.

O cenário idílico junto ao Largo das Almas, em Portagem (Marvão), é o ponto de partida desta pequena rota de pouco mais de sete quilómetros. Fica mesmo junto ao rio Sever, que corre pachorrentamente por debaixo da ponte quinhentista, e sob «vigilância» da torre do século XIV que servia de portagem a quem o atravessava.

O caminho continua encosta acima, até à ao Convento da Senhora da Estrela, pela antiga estrada romana que, durante séculos, foi a única ligação entre Marvão e Portalegre. A calçada serpenteia protegida por uma abóbada de sobreiros, carvalhos e castanheiros que deixam passar apenas alguns raios de sol, até terminar perto da igreja e do antigo convento da padroeira de Marvão. Aqui, impõe-se nova paragem para apreciar a paisagem, avistando-se ao longe, para sul, o Alto de São Mamede, ponto mais alto da vizinha serra com o mesmo nome.

Mesmo ao lado, fica a entrada para a vila amuralhada, mas o percurso ainda nem vai a meio e há que aproveitar a descida até Abegoa, uma aldeia de casas caiadas onde as marcas pintadas no chão de pedra indicam o caminho em direção a Fonte Souto. Aí, impõe-se um desvio de apenas algumas dezenas de metros, para visitar uma capela e duas sepulturas medievais cavadas na rocha.

O caminho de terra batida volta depois a encontrar a calçada medieval. Já falta pouco para chegar novamente à beira do Sever – e a piscina natural de Portagem, logo ali ao lado, é o melhor bálsamo para pés cansados.



CONTEÚDO PATROCINADO