Pelos caminhos da água em terras de Alcanena

Pelo caminhos da água em terras de Alcanena
Junto ao areal é possível alugar toldos, espreguiçadeiras e canoas.
A praia fluvial de Olhos de Água vale pelos mergulhos, pois claro. Mas também por tudo o que a rodeia: curiosidades geológicas, caminhadas, paisagens inesperadas, dentro da área protegida do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

É aqui, na base de uma escarpa, que nasce o rio Alviela. A água, originária da chuva, infiltra-se no planalto de Santo António e é conduzida até este local por uma complexa rede de galerias subterrâneas. Esta aprazível praia fluvial é assim uma espécie de exceção à regra, numa zona famosa pelas suas grutas e rios subterrâneos. Quando tem menos gente, é possível observar os peixes, de diferentes tamanhos e feitios, que se aproximam da margem, à procura de alimento. Mas até mesmo nos dias de maior enchente (normalmente aos fins de semana) é possível vê-los, desde as pontes de madeira que, em diferentes pontos do parque, cruzam o rio.

A zona envolvente está equipada com zona de merendas, parque infantil, circuito de manutenção, campos desportivos, bar e campismo. E junto ao areal é ainda possível alugar toldos, espreguiçadeiras e canoas. Um pouco mais acima está o «canhão do Alviela», o desfiladeiro por onde este rio brota para o exterior, na «nascente cársica mais importante do país» e que, desde 1880, abastece a rede pública de Lisboa, como é explicado aos visitantes nas placas informativas.

Durante o verão é possível percorrer o local, observando as pequenas nascentes – os tais «olhos de água» que deram o nome ao sítio. Bem no final do desfiladeiro fica a gruta da Lapa da Canada, que serve de abrigo a milhares de morcegos de diversas espécies protegidas.

Junto à praia sai um pequeno trilho pedestre, de apenas 2 quilómetros, ao longo da ribeira dos Amiais, afluente do Alviela, que a dada altura desaparece no meio da rocha, para reaparecer à superfície algumas centenas de metros à frente. Pelo caminho são também visíveis algumas grutas.

 

AGENDA:

Visita Guiada ao Céu, Lisboa
29 de junho
Uma visita guiada pelo céu noturno, na qual os participantes poderão aprender um pouco mais acerca do universo, ao mesmo tempo que observam nebulosas, aglomerados de estrelas ou planetas como Saturno. A atividade terá lugar no Observatório de Lisboa, na Tapada da Ajuda, e será acompanhada por astrónomos do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.
greentrekker.pt

Porto a Subir, Porto
1 de julho
Pelo 14º ano consecutivo esta prova em sistema de contrarrelógio desafia os participantes a percorrerem as íngremes escadarias dos Guindais e Codeçal, num percurso sempre a subir entre a Ribeira e a Sé. O desafio é duro, mas, a cada ano, são cada vez mais os atletas que testam a sua capacidade física em pleno centro histórico do Porto.
runporto.com

Meia Maratona de Almada
2 de julho
Com chegada e partida no Parque da Paz, esta prova passa por alguns dos locais mais emblemáticos da cidade de Almada, incluindo alguns normalmente interditos ao público como é o caso da base naval do Alfeite ou dos antigos estaleiros da Lisnave. Além da prova principal da meia maratona, de 21,1 quilómetros, o programa propõem ainda um corrida de 10 quilómetros e uma caminhada não competitiva de 6,5.
meiamaratonadealmada.pt



CONTEÚDO PATROCINADO