Festival de cinema para crianças está a chegar ao Porto

IndieJúnior Festival de cinema para crianças está a chegar ao Porto
A 2.ª edição do Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil do Porto, que também dá pelo nome de IndieJúnior Allianz, estreia a 30 de janeiro. Até 4 de fevereiro, há 50 curtas e longas-metragens inéditas e ainda atividades sobre a temática.

O IndieJúnior continua a integrar a programação do «festival mãe», o IndieLisboa, que acontece uma vez por ano na capital. Mas desde 2017 que o título passou a existir também de forma independente, com a criação de um festival internacional de cinema infantil e juvenil, no Porto. Se o IndieLisboa tem casa-mãe em Lisboa, o IndieJúnior Allianz fixou morada anual na Invicta, em diferentes espaços. O Teatro Rivoli, o Cinema Trindade e a Biblioteca Municipal Almeida Garrett voltam, por isso, a receber a segunda edição do evento, de 30 de janeiro a 4 de fevereiro.

Em seis dias, o programa reparte-se por estes três locais, entre exibições de 50 curtas e longas-metragens, o encerramento e atribuição dos prémios pelo júri (também constituído por alunos de escolas locais) e várias atividades paralelas. Entre as exibições vão estar filmes infantis dirigidos a um público com menos de 18 anos, a maioria inéditos em Portugal, mas também algumas longas-metragens antigas, como «Viagem ao Centro da Terra» e «Alice no País das Maravilhas», recordadas por Rui Reininho, Ana Deus e Carlos Tê na secção «O Meu Primeiro Filme».

Há ainda várias atividades destinadas às crianças e famílias, que exploram outras temáticas através do cinema. Os mais novos vão poder conversar com um realizador, no dia 2 de fevereiro e, no dia seguinte, bailar no foyer do Rivoli num matiné dançante.

Além das brincadeiras, há também espaço para temas sérios. A partir de filmes, aborda-se a questão do bullying numa sessão familiar e fala-se da identidade de género noutro debate aberto a famílias e crianças a partir dos 10 anos. A entrada é gratuita e a conversa tem a presença de um psicólogo, da mãe de um jovem transgénero e de um professor. A prova de que o cinema é mais do que ver filmes.

 

Leia também:

Porto: 8 sugestões para um fim de semana de sol
Café emblemático do Porto reabre em março
Onde comer croissants no Porto e Norte?