Uma rua do Porto com frondosas oliveiras e comércio novo

É um passeio agradável, pontuado por oliveiras, aquele que se faz pela curta Rua das Oliveiras, que vai surpreendendo pela diversidade dos negócios.

Contam-se, pelo menos, três oliveiras na rua – uma na esplanada da taberna Aduela e outras duas à porta do Salão Ferreira. As árvores tornam presente o passado desta rua curta, 160 metros de ponta a ponta, cuja toponímia relembra o século XV, em que a área da cidade, desde a Praça Carlos Alberto até à Praça Guilherme Gomes Fernandes, estava coberta de oliveiras. Atualmente, a única rua que as evoca acolhe lugares novos em folha e outros que já fazem parte da história da cidade, como é o caso do Teatro Carlos Alberto, das Galerias Lumière e do bar Pipa Velha, um dos mais antigos do Porto. Tranquila de manhã, a Rua das Oliveiras vai ganhando vida a partir da tarde, altura em que as esplanadas começam a atrair portugueses e estrangeiros, sendo a noite o momento de maior movimento. Tanto que as cadeiras não chegam para toda a gente e até as soleiras das portas servem para sentar.

 



CONTEÚDO PATROCINADO