Neste sábado, há visitas gratuitas a espaços menos conhecidos de Coimbra

As estufas tropicais do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra fazem parte da iniciativa. (Fotografia de Maria João Gala/GI)
O projeto “Casa Adentro”, que visa dar a conhecer - ou a redescobrir – edifícios com especial valor arquitetónico, histórico e cultural, em Coimbra, regressa neste sábado, com visitas guiadas e outras atividades gratuitas. Da Baixa à Alta da cidade, passando por Santa Clara, na margem esquerda do Mondego.

São espaços de diferentes épocas, com diferentes tipologias e usos, uns já bem enraizados no mapa cultural e turístico conimbricense, outros quase desconhecidos, aqueles que agora se abre ao público. Há desde edifícios académicos e património religioso até casas-museu, estufas, uma república estudantil e mesmo um hotel de luxo. Desta feita, a iniciativa “Casa Adentro” conta com cinco roteiros, incidindo sobre diversas zonas da cidade: Celas, Praça, Alta, Baixa e Santa Clara.

Em Celas, os participantes são convidados a visitar a Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (UC), o Real Mosteiro de Santa Maria de Celas, a Casa-Museu Miguel Torga e a Casa Berta Vieira Lima. Descendo até à Praça da República, os espaços selecionados são a Casa Museu Bissaya Barreto, as Estufas Tropicais do Jardim Botânico da UC e o Edifício da Casa das Caldeiras.

O edifício da Casa das Caldeiras.
(Fotografia de Maria João Gala/GI)

Já na Alta, os destaques vão para a Igreja de São Salvador, a Real República do Bota Abaixo, o Sapientia Boutique Hotel e a Casa Sobre-Ribas. Na Baixa, a aposta recai sobre a Igreja do Carmo, o Edifício do Infinitto, a Cerâmica Antiga de Coimbra e o Edifício da Antiga Estação Central dos CTT de Coimbra (TUMO). E na outra margem do rio, em Santa Clara, o cenário escolhido é o Observatório Geofísico e Astronómico da UC.

As visitas guiadas, com cerca de meia hora, são orientadas por voluntários, podendo também ser acompanhadas – e comentadas – por especialistas. A admissão dá-se por ordem de chegada, consoante a lotação prevista para cada sítio. Paralelamente, decorre um programa de atividades, de acesso livre, que envolve exposições e para crianças e jovens.

A organização é da Câmara Municipal, em parceria com o Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC e o Centro Cultural Penedo da Saudade/IP. O programa pode ser consultado, em detalhe, aqui.

À direita, a Igreja de São Salvador.
(Fotografia de Maria João Gala/GI)

 




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend