Lisboa: Um bistrô à antiga em Belém

Fora dos palcos futebolísticos, França e Portugal cruzam as cozinhas na perfeição no Comptoir Parisien, onde a equipa é jovem e todos falam francês.

A restauração sempre fez parte da vida de Nicole Tissot, que cresceu na região francesa da Côte d’Azur à conta do negócio hoteleiro dos pais, em Saint-Tropez. Na faculdade, não se desviou da linha e, depois, foi um passo até abrir os seus próprios negócios em Paris.

Do outro lado da história está Gilles Anouk, também com uma brasserie na capital francesa. Olhando para trás, fazia sentido que fosse a restauração a juntá-los, num dia em que Nicole entrou no restaurante de Gilles.

Uma viagem a Portugal há um par de anos foi o pretexto ideal para a história dos dois continuar noutro país. Em agosto do ano passado encontraram o espaço, em Belém. E mudaram-se de malas, bagagens e filhos – os de Gilles trabalham também no Comptoir Parisien. O que não ficou em França foi mesmo a língua, que toda a jovem equipa do bistrô fala e utiliza para comunicar entre si.

A língua francesa é o primeiro passo, embora não propositado, para levar o visitante até Paris. Seguem-se as tradicionais toalhas aos quadrados vermelhas e brancas, as carreaux normand, com que os parisienses gostam de vestir as mesas dos seus bistrôs.

Na rua Vieira Portuense, com uma fila de esplanadas de restaurantes, a do Comptoir é a única deste padrão. O terceiro passo são as fardas de quem serve à mesa: t-shirt às riscas, suspensórios e um boné, reforçados com um serviço despachado e simpatia.

No interior do bistrô, o ambiente muda. As toalhas dos quadrados desaparecem, as lâmpadas pendem do teto, há quadros nas paredes e o ambiente é, sem dúvida, mais intimista. Ao fundo fica a cozinha, onde saem os pratos que procuram agradar a franceses e portugueses.

É verdade que a sobremesa fica para o fim, mas a tarte Tatin é digna de destaque. Criada por engano por duas irmãs pasteleiras, é a estrela desta companhia, com o seu sabor a caramelo e a maçã. Não vale, no entanto, saltar os pratos que a antecedem.

Depois de uma passagem pelo menu de queijos, o início da refeição pode fazer-se com o paté caseiro do campo. E depois das gambas em molho de pastis e o filete de atum grelhado em pimenta e legumes salteados, difícil é não querer voltar.

 

Comptoir Parisien
Rua Vieira Portuense, 44 (Belém), Lisboa
Tel.: 213638279
Web: Facebook – Restaurante Comptoir
Segunda a sábado, 10h00 às 22h00. No domingo encerra às 19h00.
Preço médio: 25 euros



CONTEÚDO PATROCINADO