Crítica de vinhos: um trio de luxo em Lousada

Os vinhos da Quinta de Lourosa são inconfundíveis, no cenário da região dos Vinhos Verdes. Os 30 hectares de vinha de que provêm são verdadeiro demonstrador científico, técnico e de coração, todos os anos renovado e rejuvenescido pelo labor de Rogério de Castro e sua filha Joana.

São três os vinhos de que falamos hoje mas a Quinta de Lourosa produz mais títulos. Rogério de Castro é professor catedrático de viticultura do Instituto Superior de Agronomia, a sua filha Joana seguiu-lhe os passos na vocação e hoje trabalham em conjunto a vinha com a mesma paixão. O pai é uma pessoa sempre difícil de apresentar porque é provavelmente o maior sábio português no tocante à vinha e sua adaptação aos diferentes terroirs. Homem do norte, assumidamente ligado ao campo, a sua simplicidade corresponde à sabedoria e é um grande prazer conviver com ele à mesa ou por entre as vinhas.

A vanguarda na viticultura é a um tempo imperativo de consciência e valor garantido nos 30 hectares de vinha plantada. Isso fica logo claro com o sistema de condição das cepas em Lys, com o objectivo de maximizar a captação solar e a gestação perfeita de uvas que depois vão dar origem a vinhos equilibrados, frescos e ricos em aromas.

Pai e filha defendem os mesmos princípios, respeitando sacramentalmente os antigos em aspectos críticos como a rega, e ao mesmo tempo impondo racionalidade total nos tratamentos da vinha. «A cultura da vinha é também uma cultura de valores». Palavras de Rogério de Castro que assume de corpo e alma. Acrescenta o que designa por quatro elementos: carácter do solo, têmpera do clima, génio da cepa e zelo do vinhateiro. Para tomar nota e seguir. O vinho verde de base é produzido a partir de Loureiro e Arinto, há um Alvarinho e faz-se ainda o Vinha do Avô, branco super-expressão de um pequeno terroir, muito especial.

Leia também:

13 de maio é dia de provar vinhos na Herdade do Esporão
Alentejo e Douro nos 10 melhores destinos europeus de vinhos
Seis vinhos nacionais que marcam a diferença



CONTEÚDO PATROCINADO