Cervejas artesanais do norte com sabor a Natal

Está já a tornar-se um hábito as marcas de cerveja artesanal lançarem as suas edições especiais natalícias. Normalmente muito aromáticas, as receitas evocam as estações frias, muitas vezes com ingredientes da época, e ficam bem em qualquer ceia de Natal.

Pelo segundo ano consecutivo, a Letra, produzida em Vila Verde (Braga) lança uma cerveja maturada em barricas de carvalho. A Letra on OAK Port Barrel Aged Sour Ale não quer ser, propriamente, uma cerveja de Natal, mas é pensada para se beber em tempo de inverno. O projeto é uma parceria com a Quinta do Portal que cedeu barricas onde estagia o seu vinho do porto. A cerveja ficou a maturar um longo período, durante o qual foi absorvendo as notas de madeira e o perfil vínico das barricas. As características da madeira também lhe conferiram acidez (por isso é uma ‘sour’) que representa frescura, o que ajuda a disfarçar os 12 por cento de teor alcoólico. Esta cerveja acompanha bem carne de caça e queijos fortes.

Mas a verdadeira cerveja natalícia da Letra – esta sim, para beber com rabanadas, sonhos ou bolo-rei – é a Barbudo Christmas Ale, que só está disponível em barril no seu brewpub Letraria, em Vila Verde. É uma Belgian Dark Strong Ale com 9 por cento de teor alcoólico. No momento da maturação foram adicionadas vagens de baunilha, sementes de coentro, pau de canela e flor de anis. Madeira de carvalho com muita tosta entrou no final, o que confere equilíbrio à bebida.

De Trás-os-Montes vem a Gíria, cerveja produzida em Mirandela por Luís Eleutério, um enólogo convertido em cervejeiro. Mas a ligação aos vinhos não é para esconder e para o Natal, Luís criou a Christmas Grape Ale, onde as uvas se destacam. A opção foi utilizar três castas da região, as tintas Touriga franca e Tinto cão e a branca Côdega do larinho. O centeio usado também é local. O resultado é uma cerveja forte, bastante vínica (com 9,5 por cento de álcool), frutada, que faz lembrar espumantes rosé. O final de boca é um pouco amargo. É assim ideal para acompanhar peru assado e mesmo leitão.

A portuense Sovina, que todos os anos lança uma cerveja sazonal de Natal, este ano presenteia os apreciadores com uma Ale fermentada com mel. A Special Christmas Ale (10,3 por cento de álcool) tem um corpo forte e rico e é condimentada com especiarias. O mel, de urze e castanheiro, é biológico e produzido na Serra da Estrela (pela Samelas). È uma cerveja que aquece e que não deve ser bebida muito gelada (entre 8 e 12 graus).

Também do Porto é a Burguesa que pela terceira vez faz uma receita natalícia. A Xmas 2016 é mesmo uma cerveja para se beber com as sobremesas típicas da época. Encorpada, licorosa e escura, com 10 por cento de teor alcoólico, foi maturada em barricas de carvalho francês – previamente utilizadas para whiskey, vagens de baunilha e avelã, o que lhe proporcionou sabores complexos e quentes. Mais uma prova que a cerveja já não é só uma bebida de verão.



CONTEÚDO PATROCINADO