Roteiro por Azeitão: terra de vinhos, tortas, história e arte contemporânea

Na Serra da Arrábida, o vinho corre nas veias de Azeitão desde tempos imemoriais, e é graças à sua produção que a vila continua forte e dinâmica. Mas o leque de atrativos não se esgota no enoturismo. Vai do moscatel às tortas e conjuga a gastronomia tradicional e a moderna, azulejaria secular e arte contemporânea. Uma simbiose perfeita entre o rural e o urbano, a meia-hora de Lisboa.

Submersas em silêncio e escuridão, as mais de 500 barricas de moscatel de Setúbal só se veem graças às luzes tímidas da Adega dos Teares Velhos. “É aqui que eu sinto o peso das gerações. Nós estamos a vender vinhos que o meu avô e o meu pai fizeram e os que estamos a fazer agora são para as gerações futuras”, conta Sofia Soares Franco, rosto da sétima geração desta família de vinhos com quase 200 anos de história, durante uma visita guiada à CASA-MUSEU JOSÉ MARIA DA FONSECA, em Vila Nogueira de Azeitão.

Nesta adega – criada numa antiga fábrica de uniformes dos exércitos português e inglês na época das invasões francesas – estagiam 400 mil litros de moscatel normal, moscatel superior e moscatel roxo. Alguns, a envelhecer ali há mais de 100 anos, já serão “moscatéis de comer à colher”, de tão escuros, espessos e doces se tornaram. Essas raridades, e outras da coleção privada da família, estão guardadas numa sala ao fundo, de paredes empedernidas de pó e teias de aranha, e que só é aberta em ocasiões muito especiais.

“Quando o senhor José Maria da Fonseca se fixou em Azeitão e fundou a empresa em 1834, o moscatel de Setúbal já existia, mas somos o produtor mais antigo do país”, continua a responsável de enoturismo e comunicação. Este vinho fortificado obtém-se parando o processo de fermentação com a adição de aguardente vínica, que lhe dá a doçura caraterística, e, de tão apreciado, rapidamente se tornou um ex-líbris de toda a Península de Setúbal, terroir desta casta por excelência.

José Maria da Fonseca, matemático de Nelas, no Dão, não tinha qualquer experiência em agronomia quando se fixou e apaixonou por Azeitão, mas liderou o crescimento da empresa com uma visão de futuro arrojada para a época. Modernizou a vinha e a adega com a primeira linha de engarrafamento, cuidou da imagem dos produtos, apostou na exportação e criou o vinho Periquita, em 1880, o primeiro vinho de mesa engarrafado no país. Hoje, com 650 hectares em cinco regiões vínicas, a empresa chega a mais de 70 países.

As visitas guiadas à casa-museu incluem provas de vinhos, mas nada como terminá-las no novo restaurante WINE CORNER, aberto em maio com uma carta desenhada pelo chef setubalense Luís Barradas. Trilogia de tártaros, choco frito e a pesca do dia com arroz carolino de limão, bivalves e algas são alguns dos pratos que refletem a mestria da cozinha, coadjuvada pelos vinhos da casa, todos disponíveis a copo. Na carta também há bons cortes de carne e as sobremesas, como a de pera bêbeda com gelado de queijo de Azeitão e crumble de bolacha Piedade, são divinais.

 

As tortas do cego

Tendo a imponente fachada da casa-museu como ponto de orientação, a melhor maneira de partir à descoberta dos encantos de VILA NOGUEIRA é caminhar pelas suas ruas floridas. Qualquer apontamento histórico de relance dirá que Azeitão (cujo nome se deve aos extensos olivais que ali existiam na época árabe) começou a desenvolver-se a partir do século XV com a fixação de famílias nobres, como dão conta muitos palácios, quintas e casas brasonadas que hoje se veem.

Esta terra tem a particularidade de assumir quatro nomes distintos consoante a zona – Vila Nogueira de Azeitão, Brejos de Azeitão, Vendas de Azeitão e Vila Fresca de Azeitão. Em Vila Nogueira, o centro do comércio, serviços e turismo, é obrigatório passar na PRAÇA DA REPÚBLICA, onde está a estátua de homenagem a Sebastião da Gama, poeta e pedagogo que elogiou e defendeu a Arrábida como poucos e tem agora uma nova casa-museu.

Num tributo à atividade vitivinícola da região, admira-se, abaixo, a escultura de um cacho de uvas invertido, e mais adiante surge a IGREJA DE SÃO LOURENÇO, construída no século XVI em estilo maneirista e sóbrio, próprio do ambiente rural, com o interior revestido a painéis de azulejos. Mais à frente, suscitam contemplação os bonitos elementos em mármore e azulejo do chafariz público da FONTE DOS PASMADOS.

Igualmente histórica, mas com outras nuances, é a CASA DAS TORTAS, uma antiga mercearia cuja fundação em 1910 remete para a maçonaria. O espaço sobreviveu no tempo e Paulo Ferreira ainda se lembra de o visitar quando os pais passavam férias na Arrábida. Formado em Economia e após 15 anos de trabalho na TMN, mudou-se para Azeitão e dedicou-se à gestão deste restaurante e de outros. É um dos mais procurados na vila e exibe, com orgulho, todos os moscatéis produzidos na Península de Setúbal.

Enquanto os clientes, muitos deles residentes ou com casas de férias na vila, ocupam as mesas da esplanada, vale a pena pedir o bacalhau na grelha (desfiado) com pimentos e batata frita (serve duas pessoas), e uma coleção de carnes grelhadas, tudo servido em doses para partilhar e a pedir uma harmonização com os vinhos locais. De verão, é aposta também a sopa de gaspacho de base andaluz com presunto, carapau frito, melão, figo, uvas, cebola, pimento, tomate e pão. É uma refeição por si só, mas há que guardar sempre espaço para comer a clássica sobremesa: a torta de Azeitão.

A história deste doce é contada mais adiante na rua, na pastelaria O CEGO. Consta que terá sido trazido de Fronteira, no Alentejo, por um familiar do dono da pastelaria fundada em 1901. A partir do dia em que o doceiro perdeu a visão, os fregueses começaram a ir “ao Cego”. É isto que relata José Pinto, de 58 anos, ele que aprendeu a fazer o doce com o pai e assumiu a gestão da pastelaria, comprada nos anos 1970, depois de ele se reformar. A torta consiste numa massa enrolada e recheada com doce de ovos e é um lanche perfeito, emparelhando com um cálice de moscatel roxo.

Porém, mais do que enaltecer as tortas ou os igualmente famosos esses de Azeitão (bolos secos com aroma e sabor a canela), José Pinto prefere destacar a doçaria que criou e recriou com a sua experiência e criatividade. São eles os pastéis de requeijão de ovelha e amêndoa, os de moscatel e de laranja e também os “memés”, pastéis de massa crocante recheados com requeijão de ovelha fresco e doce de ovos. Igualmente muito pedidos por quem lhes conhece
o sabor e a textura são os “mimos” à base de massa filo, doce de ovos e amêndoa torrada; e os “amores”, suspiro com amêndoa torrada no interior.

A arte dos azulejos

Conhecer Azeitão significa também passar de carro, invariavelmente, pela vistosa adega da BACALHÔA – VINHOS DE PORTUGAL, pertencente ao património de José Berardo, mas fundada por João Pires em 1922. Os visitantes são recebidos por várias oliveiras milenares, e daí para dentro tudo inspira o slogan “Arte, Vinho e Paixão”, visitando-se as exposições permanentes (de momento, só está disponível a da coleção de arte africana) e as
salas onde envelhecem duas mil barricas de moscatel e outros vinhos.

O expoente máximo das visitas guiadas é o PALÁCIO E QUINTA DA BACALHÔA, situado já em Vila Fresca. De estilo renascentista, foi construído no século XV como casa de veraneio de D. Brites, duquesa de Viseu e mãe de D. Manuel I. A arquitetura do edifício, bem como a decoração e jardins, foram influenciados ao longo dos séculos pelos diferentes proprietários, mas o charme manteve-se. Além da casa de fresco com um lago destacam-se a coleção de azulejos portugueses do séc. XV e XVI e o primeiro azulejo datado em Portugal.

O Palácio e Quinta da Bacalhôa ficam em Vila Fresca de Azeitão. (Fotografia de Leonardo Negrão/GI)

De azulejos percebe bem Luís Oliveira. Nascido em Setúbal há 60 anos e com mais de metade dele dedicados à cerâmica, abriu a fábrica AZULEJOS DE AZEITÃO no Sítio da Bacalhôa quando quis ser patrão de si próprio. Os azulejos da fachada exterior, com um retrato fantasiado da fauna e flora da Arrábida, são só uma amostra do trabalho de minúcia artesanal que desenvolve com a equipa, fabricando peças segundo as técnicas da corda seca
(árabe), aresta (hispano-árabe) e majólica (italiana).

Dali já expediu encomendas de azulejos para o mundo inteiro – há inclusive uma igreja barroca em Gabão, África, revestida a 12 mil azulejos -, mas a maioria vai para os Estados Unidos. O resto é vendido ao turismo (só em 2019 passaram pela fábrica 17 mil pessoas), numa loja tão profusa e organizada que mais parece um museu de azulejaria de vários cantos do mundo e onde guarda peças únicas. Grupos de crianças e famílias podem também pintar os próprios azulejos e levá-los para casa como recordação.

Já em Brejos de Azeitão, o novíssimo restaurante CHEF STORIES proporciona histórias felizes à mesa. Após 10 anos a cozinhar em diversos países, em casas e hotéis conceituados, o chef Fábio Ramos decidiu voltar para dar vida ao projeto do amigo de infância Fábio Gomes, e o resultado está à vista num antigo armazém brilhantemente recuperado. Na carta, que não se cinge às clássicas steakhouses, há carpaccio de rosbife, hambúrguer de wagyu, tomahawk com 30 dias de maturação e lombo de novilho, entre outras carnes e respetivos cortes, assim como opções vegetarianas, boas sobremesas e cocktails.


O lado pop de Azeitão

Gonçalo Rodrigues, formado em gestão e comunicação e apaixonado pela cultura pop,
mudou-se de Lisboa para Azeitão, onde fixou uma agência de comunicação e marketing e a
loja ATELIER CONCEPT STORE, na rua principal da vila. Prova de que “o mundo pode
caber numa loja” e que as várias gerações têm mais interesses em comum do que se julga são
as reações das famílias que ali entram e se dispersam atraídas por objetos tão diferentes
quanto brinquedos Playmobil de edições especiais; uma bicicleta BMX; uma arcade dos anos
1980; o cubo de Rubik; discos de vinil que vão do heavy metal à bossa nova; e um sem fim
de outros artigos relacionados com cinema, literatura, música, jogos, desporto e até peças de
arte contemporânea.

Em Vila Fresca de Azeitão, a família de Pedro Carneiro criou, por sua vez, a ARTY
COLLECTIONS, uma galeria de arte contemporânea que tem como vizinhos a fábrica de
azulejos e uma loja de decoração de interiores. O objetivo, conta o jovem futebolista e
apreciador de arte, foi democratizar o acesso do público a este tipo de arte, com peças
vendidas entre os 40 e os 20 mil euros, e apoiar artistas emergentes e firmados. Pedro
Marquez (escultor), Alexina (escultora de vidro) e José Vítor e Pedro Botelho (ambos artistas
plásticos) são alguns dos nomes representados. O espaço, de dois pisos, também vende
produtos regionais e artesanato de autor.

Pedro Carneiro é quem recebe os visitantes na Arty Collections, uma galeria de arte inclusiva. (Fotografia de Leonardo Negrão/GI)

 

Onde dormir

A QUINTA DE CATRALVOS, localizada na estrada nacional que liga Azeitão e Sesimbra, rodeia-se de 20 hectares de vinha e prepara-se para recentrar a produção nas suas próprias colheitas com o lançamento, a breve trecho, dos vinhos Catralvos Reserva (tinto) e Blanc de Noir (branco feito com castas tintas). Em termos enoturísticos, dispõe de cinco quartos de decoração rústica, piscina, sala comum e disponibiliza pequenos-almoços em cestos de piquenique. Os planos são de crescimento, até porque o grande foco, a par dos vinhos, são os casamentos, realizados em cénicos espaços exteriores e numa sala com capacidade para 400 pessoas.

 

Morada
EN 379, 2925-708, Azeitão, Setúbal
Telefone
212197610
Custo
(€€) Quartos a partir de 88 euros por noite (com pequeno-almoço).


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
Rua dos Trabalhadores da Empresa Setubalense, 15 (Vila Fresca de Azeitão)
Telefone
212180013
Horário
Das 09h às 18h. Fim de semana, das 09h às 13h e das 14h às 18h.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
Rua José Augusto Coelho, 10 (Vila Nogueira de Azeitão)
Telefone
969513304
Custo
(€€) Artigos dos 5 aos 200 euros.
Horário
Das 10h às 13h e das 14h às 19h. Encerra domingo.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
Rua José Augusto Coelho, 1 (Vila Nogueira de Azeitão), Setúbal
Telefone
212191366
Custo
(€€) Preço médio: 30 euros.
Horário
Segunda, terça, quinta, sexta e sábado, das 12h às 00h. Quarta e domingo, das 12h às 18h. Petiscos entre as 15h e as 19h.


GPS
Latitude : 38.5145133
Longitude : -9.020252400000004
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Partilhar
Morada
Praça da República, 37 (Vila Nogueira de Azeitão)
Telefone
969146996
Custo
(€€) Preço médio: 20 euros
Horário
De terça a domingo, das 08h às 00h00 de terça a domingo.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Partilhar
Morada
Rua Cruz Perdigão, S/N (Brejos de Azeitão)
Telefone
212188057
Custo
(€€) Preço médio: 25 euros.
Horário
Quarta, quinta e domingo, das 12h às 15h e das 19h30 às 22h30. Sexta e sábado, das 12h às 15h e das 19h30 às 23h30. Segunda-feira, das 12h às 15h.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
Rua José Augusto Coelho, 150 (Vila Nogueira de Azeitão)
Telefone
212180301
Custo
(€) Tortas de Azeitão a 1,30 euros (unidade). Pastéis regionais a partir de 0,90 euros a unidade.
Horário
Das 08h às 20h. Encerra à terça-feira.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
Rua José Augusto Coelho, nº11/13 (Vila Nogueira de Azeitão)
Telefone
212198940
Horário
Visitas guiadas todos os dias, das 10h às 12h e das 14h30 às 17h30. Loja de vinhos, das 10h às 19h.

Website

GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
EN10, Vila Nogueira de Azeitão
Telefone
212198060/212198066
Custo
(€) Preço: 3 euros (adega/museu); 8 euros (palácio); 10 euros (palácio e adega/museu)
Horário
Loja, todos os dias das 10h às 18h40. Visitas guiadas, todos os dias às 10h30, 11h30, 14h30, 15h30 e 16h30.

Website

GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
EN10, Vila Fresca de Azeitão
Telefone
212198060/212198066
Custo
(€) Preço: 8 euros
Horário
Visitas guiadas de segunda a sexta, às 10h e às 15h.

Website

GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica



Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend