Vila alentejana de Cabrela recebe festival de fado, cante alentejano e mornas

Carminho. (Fotografia de Leonardo Negrão/GI)
O Alentejo World Heritage Festival está de regresso à vila alentejana de Cabrela, concelho de Montemor-o-Novo. Durante três dias, há atuações que juntam fado, música cabo-verdiana, canção lírica e cante alentejano.

As fusões do fado com a música cabo-verdiana e do cante alentejano com a canção lírica são propostas do Alentejo World Heritage Festival, que se realiza no final de junho numa vila do concelho de Montemor-o-Novo. O evento vai “continuar a respeitar o conceito” lançado no ano passado de “pôr em diálogo as expressões musicais [reconhecidas como] Património Cultural Imaterial da Humanidade”, afirmou à agência Lusa David Lopes, da organização.

Promovido pelas associações Égide e Lar Doce Ler, com o apoio de outras entidades, o Alentejo World Heritage Festival, que vai para sua 2.ª edição, está marcado para os dias 28, 29 e 30 de junho, na vila de Cabrela, concelho de Montemor-o-Novo, no distrito de Évora. Segundo o responsável, o programa deste ano tem em destaque o concerto “Portuguesa”, da fadista Carminho, no dia 28, e uma atuação que junta a cantora cabo-verdiana Nancy Vieira e a fadista Cristina Clara, no dia 29.

Considerando que a 1.ª edição, realizada em agosto de 2023, “funcionou bem do ponto de vista de espectadores e do impacto na região”, David Lopes disse que os promotores vão repetir o modelo, ainda que com “um figurino um pouco diferente”. “No ano passado, a expressão musical convidada para se juntar ao fado e ao cante alentejano foi o flamenco. Este ano, vão ser as mornas e a música de Cabo Verde”, salientou, frisando que as novidades não se ficam por aí.

Além das alterações do mês em que se realiza o festival, o evento vai passar para o centro da vila, com os concertos e atividades a decorrerem no Largo Dr. Pascoal Coelho, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição e na Casa do Povo de Cabrela. “Temos também uma edição tributo”, assinalou o responsável da organização, adiantando que estão previstas homenagens pelo centenário da fadista Amália Rodrigues, à cabo-verdiana Cesária Évora e pelos 500 anos do nascimento do poeta Luís Vaz de Camões.

O festival abre, no dia 28, às 16h, com o concerto para crianças “Amália já sei quem és”, interpretado por Sofia Paiva e Marco Oliveira e baseado no livro de Carminho, que, a partir das 21:30, apresenta o concerto “Portuguesa”. Para o dia 29, às 15h, está marcada a projeção do documentário “Cesária Évora”, seguida de uma conversa com a realizadora Ana Sofia Fonseca, prosseguindo o festival, às 19:00, com um jantar dançante, com mornas e cachupa.

O ponto alto deste dia está marcado para as 21h30, com o concerto que junta no mesmo palco a cantora cabo-verdiana Nancy Vieira, a fadista Cristina Clara e o grupo Batucadeiras Freirianas Guerreiras, com arranjos de Daniel Bernardes. O derradeiro dia do festival inclui, a partir das 16h, um recital de piano e canto, com a soprano Susana Gaspar e o pianista Nuno Vieira de Almeida, em que será interpretada a lírica de Camões, numa evocação aos 500 anos do nascimento do poeta. Na parte final deste recital, está prevista ainda a junção do canto clássico com o cante alentejano, com a participação do Grupo Coral Fora d’Oras, de Montemor-o-Novo, para a interpretação de versos de Luís Vaz de Camões.

O programa abarca ainda outras iniciativas, como uma mostra cultural, gastronómica e de artesanato. O Alentejo World Heritage Festival é organizado pela Égide – Associação Portuguesa das Artes e pela associação Lar Doce Ler e conta com apoio da Câmara de Montemor-o-Novo e da Junta de Freguesia de Cabrela.

Os bilhetes estão à venda aqui.




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend