Tempos difíceis, mas solidários: há vários restaurantes a dar comida aos sem-abrigo

David Jesus e Nuno Bergonse, do É Um Restaurante. (Foto: Arlindo Camacho/DR)
Multiplicam-se os restaurantes que têm reunido esforços para oferecer refeições quentes a pessoas em situação de sem-abrigo, em Lisboa e no Porto.

Os dias difíceis que se vivem, em tempos de pandemia, não têm descurado o sentido de responsabilidade social. Pelo contrário. São vários os gestos solidários a que temos assistido nos últimos tempos, para quem mais precisa, nomeadamente a oferecer refeições quentes a famílias mais carenciadas ou a quem se encontra na linha da frente do combate ao Covid-19. O mesmo se pode dizer dos vários restaurantes de norte a sul que, nesta fase complexa em que estão de portas fechadas e a recorrer a entregas e takeaway, têm reunido esforços para oferecer a sua comida a pessoas em situação de sem-abrigo.

Um dos mais recentes casos é o da Mercantina. O grupo, que detém as pizarias homónimas de Alvalade e Chiado, e ainda um bistrô no Campo Pequeno, começou a preparar, desde esta terça-feira, refeições diárias na sua morada de Alvalade, na iniciativa Food For Homeless, que criou em conjunto com a Comunidade Vida e Paz. A comida segue depois para o Espaço Aberto ao Diálogo, que a referida IPSS tem em Chelas, onde se servem refeições aos sem-abrigo de Lisboa.

Diogo Coimbra, chef pizzaiolo da Mercantina.

Também na capital, o É Um Restaurante arregaçou mangas e juntou-se à causa, por razões óbvias. O espaço nasceu no ano passado, a dois passos da Avenida da Liberdade, para reinserir no mercado de trabalho dezenas de sem-abrigo, que ali trabalham na cozinha. Atualmente de portas encerradas, face ao surto do novo coronavírus, o restaurante liderado pelos chefs Nuno Bergonse e David Jesus, em conjunto com a Associação Crescer, “reabriu” agora para confecionar e distribuir cerca de 200 refeições a pessoas em situação de sem-abrigo na capital.

No início deste mês, o restaurante solidário do Centro de Acolhimento Temporário Joaquim Urbano, no Porto, passou também a contar com a ajuda da Mercadona, através da sua loja na Invicta, aberta desde outubro do ano passado. A cadeia de supermercados apoia na confeção de cerca de 400 refeições diárias, distribuídas pelo centro a sem-abrigo, com a doação de frescos como legumes, frutas e carnes.

Também há cerca de um mês, o projeto Casa da Comida, que reúne um restaurante e uma empresa de catering e eventos em Lisboa, adaptou-se aos tempos atuais, passando a apostar nas refeições em takeaway. Ciente do facto de muitas associações e instituições solidárias estarem com as suas equipas reduzidas, o espaço passou a entregar, semanalmente, mais de 70 refeições, através da Irmandade da Conceição Velha, aos sem-abrigo.




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend