Festival da Sardinha volta à Praia do Pedrógão para soprar 25 velas

(Fotografia de João Manuel Ribeiro/GI)
David Carreira e Quinta do Bill são os cabeças de cartaz do Festival da Sardinha da Praia do Pedrógão, em Leiria, que, no ano em que assinala 25 anos, quer ultrapassar os 100 mil visitantes.

A celebrar as bodas de prata, o Festival da Sardinha da Praia do Pedrógão volta a colocar aquele pescado no prato ou no pão dos visitantes, durante os fins de semana de 4 a 7 de julho e de 11 a 14 de julho, no recinto criado na Avenida da Maré Viva, com uma decoração alusiva à arte xávega e ampliado para receber mais de 95 mil visitantes esperados para os oito dias do evento.

David Carreira, no dia 6 de julho, e Quinta do Bill, dia 13, são os cabeças de cartaz da programação musical. “A música, como em todos os eventos, é muito importante porque atrai sempre pessoas de fora das nossas fronteiras regionais. Portanto, é um bom cartão de visita para que possamos mostrar o que temos de melhor e essas pessoas depois voltarão”, disse à agência Lusa Catarina Louro.

“Este ano vamos aparecer com uma nova imagem, um novo logótipo, uma nova decoração no espaço, precisamente para celebrar as bodas de prata. Temos vindo sempre a crescer muito no número de visitantes. No ano passado, tivemos 95 mil visitantes e a nossa meta é ultrapassar precisamente este número”, revelou a vereadora da Economia e dos Grandes Eventos da Câmara de Leiria.

Para a autarca (PS) é possível chegar aos 100 mil visitantes. “Estou muito confiante que isso vai acontecer, porque temos tido um número de visitas crescente ao longo do tempo”, sublinhou, ao referir que a marca Leiria tem vindo a afirmar-se e os eventos “vão além das fronteiras regionais”. “Isto para nós é muito relevante, porque leva o nome de Leiria, da nossa economia, dos nossos operadores económicos e a marca dos nossos produtos mais longe, fazendo com que depois esta marca, sendo positiva, as pessoas que nos visitam momentaneamente regressem aos nossos estabelecimentos comerciais, ao nosso património e que conheçam melhor Leiria”, insistiu.

Catarina Louro considerou que o Festival da Sardinha é um evento “muito relevante para este território do norte do concelho”, quer para os restaurantes da praia, quer para as nove tasquinhas, coordenadas pelo movimento associativo da Freguesia de Coimbrão e das uniões das freguesias de Monte Real e Carvide e de Monte Redondo e Carreira, que estarão dentro do recinto. Nos pratos dos visitantes não estará só a sardinha. O carapau é outra opção e os mais novos têm um menu infantil, constituído por douradinhos, que “foi muito bem-sucedido” no ano passado.

“O festival da sardinha é um evento que vive de forma articulada com o associativismo e os operadores privados locais”, adiantou, referindo que, apesar dos restaurantes não estarem dentro do recinto do festival, eles integram o evento no seu próprio espaço. Catarina Louro frisou que o festival necessita da relação entre os restaurantes e as coletividades, pois sozinhos nenhum deles “teria capacidade para responder” ao número de visitantes que procuram o evento. No ano passado cada restaurante da Praia do Pedrógão e a praça da gastronomia venderam cerca de oito toneladas de sardinha, sublinha uma nota de imprensa. Além da música e da sardinha, o artesanato também terá destaque.




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend