A Flórida tem nova casa no Porto (recheada de criações nacionais e vintage)

O mobiliário e a decoração são apostas fortes. (Fotografia de André Rolo/GI)
Abriu como loja temporária, mas acabou por se fixar na Avenida da Boavista, no Porto. A Flórida tem novas instalações, conservando o essencial da oferta: produtos desenvolvidos por artistas e artesãos, flores e artigos de outras épocas.

“A menina tem aqui coisas maravilhosas”, diz um homem à entrada da loja, questionando-se sobre se serão demasiado caras. Filipa Alves, responsável pela Flórida, que acaba de mudar de instalações sem sair da Avenida da Boavista, responde que tem peças para todas as bolsas: a mais acessível há de ser uma argola de guardanapo, por 2 euros, a mais cara um móvel que custa 900 euros, e pelo meio existe uma grande variedade de opções. Flores, plantas, têxteis, cerâmica, cestaria, mobiliário, utensílios para a casa, moda e decoração compõem a oferta. São sobretudo produtos portugueses feitos à mão, a que se juntam outros vindos de fora. Muitos deles novos em folha, e uma parte de outras décadas.

A responsável, Filipa Alves.
(Fotografia de André Rolo/GI)

Prolongar a vida de artigos vintage ainda em bom estado – como objetos decorativos, roupa e acessórios – é missão que Filipa abraça com prazer há longo tempo. E isso reflete-se na Flórida, que abriu como loja temporária há praticamente um ano, mas foi ficando e está para durar. Tanto que, desde outubro, conta com um novo espaço, perto da Casa da Música, com cerca de 200 metros quadrados (quase o dobro do anterior). A essência do projeto, essa mantém-se: continua a servir de montra para criações de artistas e artesãos nacionais, investindo também em colaborações e produtos com selo próprio. É o caso das almofadas em linho antigo tingido à mão, de forma natural, com recurso a plantas; ou dos botins de cores menos usuais, feitos com peles reaproveitadas.

Filipa Alves entende aquele espaço como estando em construção, até porque gosta de lhe ir acrescentando novidades. À entrada, surgem plantas, kits para bem cuidar delas, vasos, candeeiros em cerâmica de autor. Há diversos produtos para a casa, mas também jóias e cosméticos, sem esquecer os arranjos e ramos de flores originais, com possibilidade de entrega gratuita no Porto – um serviço que surgiu com a pandemia. A diferença, agora, é que os arranjos de flores secas podem ser feitos na hora, in loco, enquanto os de flores frescas só estão disponíveis por encomenda.

O projeto nasceu durante a pandemia, centrado nas flores.
(Fotografia de André Rolo/GI)

As novas instalações são espaçosas e ficam perto da Casa da Música. (Fotografia de André Rolo/GI)

Nota-se cuidado e sensibilidade na escolha das peças, que encerram histórias reais e até imaginadas, no caso das de segunda mão (que outras vidas terão tido?). Se nos demoramos a apreciar determinado objeto pela estética, não raro surge Filipa a contar mais sobre a sua função, nem sempre óbvia, ou o contexto em que foi produzida, introduzindo um novo olhar sobre ela. É uma das vantagens de percorrer ao vivo um espaço que também tem existência virtual.

Partilhar
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Avenida da Boavista, 740, Porto
Telefone
912 088 932
Horário
Das 11h às 19h. Encerra ao domingo.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend