Bombom mais caro do mundo custa 7.728 euros e é português

O «bombom mais caro do mundo» vai ser apresentado pelo chocolatier Daniel M. Gomes no Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, nos próximos dias 17 e 18, em Óbidos.

Sete mil, setecentos e vinte e oito euros é quanto custa «o bombom mais caro do mundo», uma criação do chocolatier Daniel M. Gomes, da Daniel’s Chocolate, que vai ser apresentada na Exposição das Esculturas do Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, no fim de semana, das 15h00 às 17h00.

O bombom, com formato de diamante, é feito com chocolate Valrhona negro equatorial e com «as especiarias mais caras do mundo: filamentos de açafrão, trufa branca Perigord, óleo de trufa branca (que lhe dá cremosidade), baunilha de Madagáscar (a mais cara do mundo), flocos de ouro e um ingrediente secreto. Por fora, é todo revestido a folha de ouro», descreve o chocolatier natural de Leiria.

«Este bombom já foi criado em 2015 e lançado numa parceria com a Portojoia, que nos lançou o desafio para apresentarmos algo relacionado com o mundo da joalheria», explica Daniel. M. Gomes. O processo de elaboração da receita não foi fácil. «Foi uma pesquisa árdua» pelos ingredientes, que não são «muito comuns na chocolateria», e a receita sofreu várias alterações até se obter o sabor final, com a ajuda de vários chefs de cozinha.

A produção de cada bombom, toda feita à mão, demora 15 dias, porque «cobrir o chocolate com folha de ouro é um processo muito delicado e o formato de diamante exige calma e paciência». Além dos ingredientes, o que torna o bombom Glorious «o mais caro do mundo» é a caixa em que vem acomodado, com base de madeira lacada a preto, com a gravação do número de série em ouro e uma campânula em cristal revestida a 5.500 cristais Swarovski, e com uma pega em fita de ouro. «A Swarovski soube da nossa criação e quis associar-se a nós», diz Daniel. M. Gomes.

O bombom e a caixa custam 7.728 euros. O bombom (chocolate) revestido a folha de ouro custa 3.900 euros e é esse valor que o torna «o mais caro do mundo», afirma o chocolatier de Leira com segurança, depois de ter avaliado criações chocolateiras de segmento de luxo um pouco por todo o mundo. Quase tão exclusivas quanto o número de unidades fabricadas – mil ao todo -, são as apresentações desta criação, que só aconteceram ainda no Porto, em Leiria e agora em Óbidos – tudo para não banalizar o produto.

O Glorious, que Daniel M. Gomes assume como a sua criação mais «excêntrica», vai ser apresentado na Exposição das Esculturas do Festival Internacional de Chocolate de Óbidos, no fim de semana, das 15h00 às 17h00. Quem tiver meios de aceder a este pequeno prazer de cacau pode encomendar um bombom no festival e juntar-se aos afortunados que já o compraram nos Emirados Árabes Unidos, Rússia, Argentina, Angola.

 

Leia também:

Óbidos: a vila medieval que se mantém genuína
Há Monopólio de chocolate nesta loja portuguesa
Receita: lebre estufada em vinho tinto e chocolate