Um mundo de lugares para conhecer na orla costeira de Caminha

De Vila Praia de Âncora até Seixas, há novidades para descobrir na orla costeira de Caminha, sempre junto ao mar e batida pela famosa nortada. Junto ao rio também: gelatarias, restaurantes, um bar de praia com sumos de fruta fresca, um hotel sobranceiro à vila e com vista para Espanha...

No canto noroeste do país, numa extensão que não chega a quinze quilómetros, há um mundo de lugares para conhecer, com praias de ondas bravias de um lado e montanhas verdes do outro. E Espanha a entrar-nos pelos olhos. E as mesas deste litoral do Alto Minho a fazer justiça ao seu mar, enchendo-se de peixes e mariscos.

O surf está também a tornar-se um novo chamariz de pessoas à costa do concelho de Caminha, criando um cosmopolitismo particular em lugares como Vila Praia de Âncora que, sem deixar de ser uma tranquila terra de pescadores e refúgio familiar de gerações, foi prestigiada com o arranjo da sua longa e airosa marginal marítima.

Comecemos por aí, essa vila piscatória do concelho de Caminha, que passou a praia da moda procurada por gente cada vez mais jovem, sobretudo estrangeiros. O centro da vila é praticamente um quarteirão, com um casario antigo e tradicional, sendo a sua central Praça da República um bom local para o apreciar – e outras coisas, já que nela se realizam, todos os meses, feiras de produtos locais e de antiguidades. Na praça, encontra-se um dos emblemas da vila, a renovada capela da Nossa Senhora da Bonança, padroeira dos pescadores, que tem a sua festa local em setembro.

Descendo daí pela rua de Cândido dos Reis, pode dar-se o caso de ser preciso parar para deixar passar o comboio e, mesmo ao lado da passagem de nível, vale a pena fazer uma paragem no Banco de Livros, «uma livraria alfarrabista» que abriu há dois anos e onde Rafael Capela, 71 anos e uma vida ligada ao restauro de móveis, vende títulos usados, antigos e raros. Quem aprecia livros, facilmente se perde na admiração das lombadas com encadernações antigas, cores e texturas de outros tempos, encontrando sobretudo ficção nacional antiga e literatura do Alto Minho, mas também vários títulos clássicos a preços que podem começar nos 2 euros.

Avançando em direção ao mar, salta à vista a gelataria artesanal Xuntos, negócio cujos donos são espanhóis e que encontramos também em Moledo, junto ao paredão e à Ecovia do Atlântico. Já a praia, uma baía onde desagua o rio Âncora, fica à distância de atravessar a avenida Dr. Ramos Pereira. Depois de ir a banhos sabe bem uma das bolas de Berlim, perdão, «bolas do Pedro pasteleiro» que Madalena Vasconcelos ali vende, a um euro e com creme, «claro».

Loira, alta, 50 anos, conversa e passo apressados, Lena, como é conhecida, é também a dona da renovada taberna O Marinheiro, em frente ao portinho de pesca. Chegou a explorar o espaço, mas manteve-o arrendado quase 19 anos até que, em junho, resolveu-se a pegar na casa e fazer dela uma taberna de sinceros pratos do mar: saladas de polvo e de lapas, percebes, sapateira, caldeirada de peixe, o cartão de visita da casa, arroz de marisco, sardinhas assadas, robalo, polvo, arroz de tamboril…

O peixe vem da lota ali ao lado e, nas próximas semanas, Lena deverá abrir, mesmo em frente ao Marinheiro, o Hostel D’Avenida.

Se no carro houver um skate ou uma bicicleta, a zona envolvente do Forte da Lagarteira, com o portinho e a lota novos, é o spot ideal para parar. Tem até um café bar, o Masseira, onde é possível petiscar. Também serve alguns pratos quentes e, no estio, promove sunsets aos domingos, com música ao vivo e onde o vinho e o gin são reis.

Chique, mas descontraída

Em Moledo, destino de verão de políticos e colunáveis, famoso pelo iodo e pela paisagem, a gelataria Sweet Ice e os bares Paredão 476 e O Vapor são boas sugestões para fugir à praia quando o vento e o sol castigam a pele. Os gelados e sorvetes artesanais que Carla Pinto e Carlos Melo vendem são da experiente Neveiros e têm feito sucesso, com sabores diferentes como o “Maria Framboesa”, o Ferrero, a maçã verde ou a tangerina.

Distando uns metros, no Paredão 476, os olhos são os primeiros a comer, tal é o bom aspeto do hambúrguer especial da casa, da batata frita laminada, dos peticos do mar, da tábua minhota ou do preguinho em bolo do caco, que o vinho a copo, os gins, as sangrias e os cocktails ajudam a escorregar. Depois, afagam a alma a decoração descontraída, com vários recantos e a possibilidade de apanharmos sol no terraço sem sentir o vento, e a animação todos os fins de semana, com sunsets musicais aos sábados e aos domingos.

A uns 200 metros do paredão, já rumo à Mata Nacional do Camarido e à praia da foz do rio Minho, no meio das dunas, fica O Vapor, cujos sumos granizados estão a dar que falar. São feitos com fruta fresca e podem levar, ou não, álcool. Alguns dos cocktails são servidos dentro das frutas. E para petiscar, de olhos postos na histórica Ínsua de Santo Isidro, há moelas, caracóis do mar, percebes e tortilhas.

 

O sossego de Seixas

Seguindo para norte, na praça do Conselheiro Silva Torres, o largo central de Caminha, é obrigatório experimentar as tapas e as especialidades de faca e garfo do Baptista, que abriu naquele que foi «o primeiro local social de Caminha» e lhe imitou a decoração e o estilo do mobiliário. «Esta casa apareceu no início do século XX e teve o primeiro telefone público e a primeira televisão. Na parte da frente, jogava-se dominó; lá atrás era a sueca», conta João Silva Santos, que decidiu comprar o antigo café bar e colocou o colocou nas mãos dos filhos Manuel e Pedro.

As especialidades da casa fazem crescer água na boca: arroz de tamboril com gambas e amêijoas e bife à Baptista, uma posta de carne barrosã cintada com presunto ibérico e montada em pão torrado, com um ovo estrelado a cavalo, tudo regado com um molho especial que leva whiskey e alho.

Tudo é feito na hora, mas a espera vale a pena. Um espaço acolhedor, sem luxos, a não ser o de se comer bem. Recompensa idêntica recebe quem visita o RinoTerra, um hotel que o russo Ilya Serbin abriu em Seixas. O empresário do setor dos transportes marítimos veio por três dias a Portugal a convite de um amigo que cá tinha casa. Adorou o norte e como podia exercer a sua atividade principal de qualquer parte do mundo resolveu ficar e investir no turismo.

Em Seixas, o projeto vai crescer e ganhar casas individuais no meio da mata e um edifício inteiramente dedicado ao wellness; para já um antigo solar oferece sete quartos, com casas de banho enormes e decorados com mobiliário antigo, impecavelmente restaurado e muito elegante. «Viajei toda a minha vida. Às vezes só passava metade do ano em casa. E sempre achei os hotéis um pouco formais. Aqui procuramos oferecer aos hóspedes um ambiente familiar, calor humano e muito conforto», descreve o moscovita, a viver em Caminha há cinco anos.

O investimento é russo, mas pela casa e pelos espaços verdes que a envolvem respira-se Portugal. À mesa também, com a chef Ana Guimarães a confecionar o que é nosso, mas sempre com um toque requintado: turnedó com queijo da Ilha, salmão em massa folhada, robalo à Provence, perna de borrego, costelinha de porco no forno… Nada que um passeio na vizinha ecovia do Caminho do Rio Minho, com o Monte de Santa Tecla como pano de fundo, não ajude a digerir. Quem diria que um pedacinho de terra tão curto podia encerrar esta dinâmica toda?

 

Evasões Recomenda

Vila Praia de Âncora

Banco de Livros
Rua Cândido dos Reis, 3
Horário: De terça a sábado, das 10h00 às 12h30 e das 15h00 às 19h00; fecha domingo de manhã e segunda-feira.
Preços: Entre 1 e 700 euros.

Gelataria Xuntos
Rua Cândido dos Reis
Horário: Todos os dias, das 11h00 à 1h00.
Preço: Copo pequeno, com dois sabores, por 1,80 euros.

O Marinheiro
Rua Laureano Brito, 6
Horário: Todos os dias, das 12h00 às 16h00 e das 19h30 às 24h00.
Preço médio: 22 euros

Masseira Café Bar
Campo do Castelo

Anchor Point
Avenida Dr. Ramos Pereira, 297
Preços: 20 euros cada aula; cinco aulas por 80 euros e dez por 150; sete noites + aulas de surf 350 euros (época alta); sete noites com pequeno-almoço 200 euros (época alta).

Moledo

Gelataria Sweet Ice
Rua 25 de Abril, 510
Horário: Todos os dias, das 9h00 às 2h00.
Preços: Uma bola 1,80 euros.

Paredão 476
Avenida 25 de Abril, 476
Horário: Todos os di                                                                                                                                              as, das 9h00 às 2h00.
Preços: 4-15 euros

O Vapor
Praia (junto ao Moinho)
Horário: Todos os dias, das 10h00 às 3h00, até ao final de setembro.
Preços: sumos a 3 euros e cocktails a 6; petiscos a partir de 2 euros.

All You Can Surf
Avenida 25 de Abril, 476
Preços: duas aulas de surf por 75 euros; aula experimental de kitesurf por 49 euros; aluguer de pranchas a partir de 10 euros.

Caminha

Baptista
Praça do Conselheiro Silva Torres, 24
Horário: Todos os dias, das 12h00 às 16h00 e das 19h00 às 23h00 o restaurante; espaço abre das 11h00 às 2h00.
Preço médio: 17,5 euros.

RinoTerra
Rua da Costa, 15, Seixas
Preços: 195 euros o quarto duplo e 230 a suite (época alta); tratamentos no spa a partir de 70.