6 milhões de euros deram nova vida ao Pestana Alvor Praia

Foi um dos primeiros hotéis cinco estrelas no Algarve, o que faz dele um marco histórico, mas o Pestana Alvor Praia não queria viver só do passado. Reabriu este ano, a tempo do verão, após uma remodelação.

Em 2017 o Pestana Alvor Praia vai comemorar 50 anos. Em meio século mudou de mãos – da família Mello para o Grupo Pestana –, marcou a arquitetura de uma época, foi anfitrião da Festa da Amendoeira, um acontecimento social por muitas décadas, e fez história ao ficar registado com um dos três primeiros hotéis de cinco estrelas no Algarve. E conseguiu manter uma clientela de hóspedes muito fiel que, em muitos casos, já abarca três gerações.

É obra. Mas como o tempo não perdoa e nenhuma unidade hoteleira se pode dar ao luxo de ficar a viver eternamente à sombra dos louros do passado, o Pestana Alvor Praia encerrou portas no inverno de 2015-16 para remodelação. Seis milhões de euros e meio ano depois, reabriu, pronto a disputar taco a taco com o que de melhor se faz no Barlavento Algarvio.

Situado no cimo de uma falésia sobranceira ao trecho mais recatado da praia dos Três Irmãos, em Alvor, o hotel revelou ótimo timing ao aparecer associado à requalificação dos areais, que ganharam nesta temporada um passadiço de madeira de seis quilómetros, o maior da região, para ligar a praia à ria de Alvor.

O acesso direto ao mar através de um elevador – com renovação da área de concessão que inclui agora também ela um passadiço e gazebos na zona de transição entre a praia e a piscina – vale ouro, mas não é, seguramente, o divisor de águas. Renovar, atualizar e modernizar, sim, mas preservando a história. As remodelações, sabemo-lo bem, têm quase sempre as melhores das intenções, o que não quer dizer que as cumpram. O caso do Pestana Alvor Praia é muito particular.

À chegada, o lago à frente, construído na década de 1960, e a fachada de prumo vertical, com uma malha de betão muito marcante, induzem os pseudomodernos em erro – os desavisados poderão apressar-se em catalogá-lo de démodé. Foi, todavia, essa aura e esses traços, tão apreciados até hoje por estudantes e amantes da arquitetura, que o Grupo Pestana não quis descartar. No lobby torna-se logo claro o recurso a elementos decorativos mais contemporâneos e a aposta no lado mais prático – deixou de haver o balcão tradicional de check-in, substituído por vários de atendimento personalizado, e estendeu-se o wi-fi inclusive às áreas externas –, só que os nossos olhos depressa fogem para a pièce de resistance: a escadaria de mármore em espiral coroada novamente pelo lustre em madrepérola (é uma cópia do original, desaparecido em tempos).

Ela dá acesso ao restaurante, supervisionado por Dominique Lienhard (chef executivo do grupo no Algarve), que triplicou o seu espaço para acolher fornos a lenha e sessões de showcooking. Um enorme aquário de seis metros divide a zona de buffet, onde são servidos os pequenos-almoços, do Dalvor (corruptela de uma expressão local), o à la carte onde querem recuperar o serviço de sala à antiga e apostar nos vinhos portugueses.

Outro detalhe que acaba por chamar a atenção são as várias obras de arte, como uma escultura de João Cutileiro, espalhadas em áreas-chave ou o reavivar das lareiras no bar D. Henrique, a prova de que o Pestana Alvor se vai manter em atividade no inverno. Por sua vez, os quartos, num total de 202 divididos por oito categorias, ganharam novas cores, eliminaram parte das alcatifas e reintroduziram o papel de parede, ao passo que a piscina perdeu profundidade – deixou de fazer sentido ter uma prancha de saltos. Ganhou em serviço, pois além de um bar passou a estar apoiada igualmente por uma mercearia e pastelaria grab-and-go, que é como quem diz passe e faça aqui ou no seu quarto um lanche ou uma refeição rápida. Mudam os tempos, mudam as vontades. E mudou, para melhor, o Pestana Alvor Praia.

 

Pestana Alvor Praia
Praia dos Três Irmãos, Alvor
Tel.: 282400900
Web: pestana.com
Quarto duplo a partir de 174 euros por noite (inclui pequeno-almoço)