Lisboa: Os miúdos já podem aprender a programar

Lisboa: Os miúdos já podem aprender a programar
A Happy Code é uma escola de código com conteúdos pensados para os mais pequenos. Abriu em fevereiro, em Campo de Ourique, e já tem os cursos cheios.

«As crianças deviam aprender a programar, tal como aprendem o alfabeto na escola. Porque o código é só mais uma linguagem». A frase é de Tim Cooks, diretor executivo da Apple, mas Pedro Teixeira e Filipe Leitão começaram a pô-la em prática em fevereiro passado, quando as salas de aula da Happy Code encheram em Campo de Ourique. São 120 alunos, dos 6 aos 14 anos, que uma vez por semana aprendem as bases de programação, durante hora e meia.

É através do jogo Minecraft, por exemplo, que vão testando os primeiros conhecimentos em linguagem JAVA. «Criam funções através do jogo e cinco minutos depois estão a ver o resultado ou a perceber no Minecraft que se enganaram», conta Pedro Teixeira, um dos dois responsáveis pela escola. Licenciado em gestão, procurava uma escola de código para inscrever os filhos, quando se apercebeu da falta de oferta. «Coincidiu que o Filipe Leitão, meu antigo colega do curso de Gestão e com um filho na mesma turma que o meu, também estava à procura de algo semelhante». No verão passado descobriram a Happy Code, que já existia há ano e meio no Brasil, e decidiram trazê-la até este lado do Atlântico.

Há vários cursos de curta duração, como o Minecraft modding ou o de Youtuber, em que são ensinadas ferramentas para criar e gerir um canal de sucesso na plataforma. Mas o mais popular é, sem dúvida, a Code School, com 85% dos alunos da escola e turmas cheias. Trata-se de um curso de longa duração, em que se aprende o bê-a-bá da programação e se vai desenvolvendo a técnica e o conhecimento. Se a vontade for a de começar já, há que apressar: a Happy Code vai abrir um segundo Code School, já em maio.

Happy Code
Curso Code School – 60 euros por mês
Web: happycode.pt

 

Leia também:

Sem saber o que fazer com as crianças no fim de semana da Páscoa?
Jardins de bairro para ir com a família
A loja portuguesa que só vende bolas de berlim