Eleven continua com Estrela Michelin

Desde 2014 que o Eleven conserva a sua estrela Michelin. Releia o artigo da Evasões sobre o restaurante.

É como em tudo na vida: da sensação de perda vem uma maior valorização daquilo que é nosso. Se fôssemos somar os restaurantes por onde Joachim Koerper já passou nas suas quatro décadas de carreira, estaríamos a falar de nada menos do que 17 estrelas Michelin. Apesar da longa experiência, foi há três anos que o veterano chef alemão percebeu realmente o quanto prezava a «sua» estrela. «Não é tudo, mas claro que é algo muito importante para mim. Depois de a ter perdido, passei a valorizá-la muito mais», confessa, com um sorriso de orgulho, agora que o Eleven voltou a brilhar na constelação Michelin.

Quando recebeu a notícia, em novembro último, estava no Rio de Janeiro, cidade onde é agora residente em part-time para estar próximo dos seus «filhos» mais novos, o Enotria e o Enoteca Uno (abertos em 2012 e 2013). Contudo, se dúvidas houvesse sobre as prolongadas ausências de Koerper, que a cada seis semanas muda de lado do Atlântico, é o próprio que desdramatiza, em modo de partilha de responsabilidades sobre o sucesso: «Tenho uma brigada sensacional atrás de mim.»

Em jeito de celebração pela estrela recuperada na edição de 2014 do famoso guia vermelho, Koerper e a sua equipa criaram o Menu Michelin, um percurso a seis momentos por uma cozinha que o chef aponta, essencialmente, como «cada vez mais global», embora aqui fortemente ligada a Portugal e ao Mediterrâneo que em boa hora o resgataram ao frio do Centro da Europa – e já com alguns vislumbres de Brasil. A salada de outono com vieiras, chanterelles e presunto alentejano abre o desfile, seguindo-se a frescura de um atum apresentado em duas preparações (tártaro e braseado), lado-a-lado com vieira, manga e vinagreta de ostras fumadas.

O clássico caldo-verde, perfeito para dias invernosos, aparece em grande forma, com um upgrade de lagostim e foie gras. O «melhor peixe do mundo», Koerper dixit, está representado pelo robalo com os seus ravioli e molho de crustáceos, a união dos sabores a fazer a força. E enquanto durar a época da trufa preta, há «porco alentejano atrás das trufas». Ponto final, a adaptação de «uma sobremesa que está quase esquecida», tão portuguesa como brasileira, a rabanada Eleven 2014, onde coco, fruta e gelado de cumaru, a chamada «baunilha da Amazónia», têm algo a dizer. Contas feitas, um menu à altura da celebração. Ninguém poderá acusar o Eleven ou Koerper de terem baixado os braços após o desaire de 2011. Mas é manifesto que estão agora a jogar com garra acrescida. Nada como uma grande vitória para moralizar uma equipa.

 

Rua Marquês de Fronteira (Parque Eduardo VII), Lisboa
Tel.: 213862211
Web: restauranteleven.com
Das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 23h00. Encerra ao domingo.
Preço médio: 75 euros

Texto adaptado, retirado de uma reportagem a propósito da recuperação da estrela Michelin, publicada na Evasões n.º 190, de fevereiro de 2014. Foi atualizado a 23 de novembro, após anúncio dos restaurantes distinguidos pelo Guia Michelin 2017.