Um roteiro para descobrir os recantos de Vila Nova de Gaia

Tradição piscatória, património natural, malha urbana, comida de tradição. Num concelho onde urbanidade, ruralidade e natureza se misturam, a experiência do passeio nunca é aborrecida.

Há já três décadas que o Parque Biológico de Gaia é de passagem obrigatória para quem gosta de saborear a natureza no meio da cidade. Aqui podem ser observados centenas de animais e plantas, mas, além da sua função de educação ambiental, o parque também preserva a história e a tradição do espaço onde se encontra. A recuperação de um dos moinhos do rio Febros deu origem à Mostra de Moinhos e Alfaias onde se aborda a importância da agricultura e da moagem de cereal em Avintes, de onde sai há vários séculos uma das broas mais famosas do país.

Escura, de textura densa e sabor adocicado, a broa de Avintes teve os seus tempos áureos nos séculos xviii e xix. Já o século xx foi atribulado. «Nos anos 1960, os produtores tiveram de se agregar numa panificadora única. A broa passou a ser feita em fornos não tradicionais», conta Manuel Neto, que vem de uma família de padeiros e que, juntamente com Arminda Neto, sua mulher, dirige uma das padarias mais antigas em funcionamento, a Padaria Arminda & Neto. Depois do 25 de Abril, as panificadoras voltaram a ter autonomia e a Neto foi a primeira a laborar após a interrupção. Vestígios do tempo em que o milho utilizado para a broa era o plantado nas margens do Febros e transformado em farinha nos moinhos ao longo do seu curso podem também ser descobertos ao longo do primeiro trilho homologado pela autarquia. O trilho do rio Febros (com 4,5 quilómetros, das traseiras do Parque Biológico ao Cais do Esteiro), sinalizado desde 2015, permite testemunhar a importância dos moinhos e da rica fauna e flora ao longo do rio.

Perto do início do percurso, está-se numa das ruas principais de Avintes: a 5 de Outubro. Foi aqui que o chef Manuel Vieira instalou o Mesa Com Tradição. Conhecido como divulgador da tradição gastronómica, Vieira serve aqui pratos de todo o país, com preponderância para o Norte. O cozido no pão de Baião (por encomenda), a vitela comida à colher ou o joelho de porco com arroz de salpicão e grelos são algumas das propostas.

Explorada uma das zonas mais rurais de Gaia, rume-se ao centro urbano. Acima das caves de vinho do porto, o metro, a mancha de prédios altos ao longo da Avenida da República, e o seu movimento relembra ao viajante que este está numa grande cidade. E no centro não falta o que fazer. Imperativo é visitar a Casa-Museu Teixeira Lopes, a primeira casa-museu pública em Portugal. Construída entre 1890 e 1907, acolhe as coleções do escultor, as suas obras e estudos e também o núcleo Diogo Macedo, historiador de arte, crítico, colecionador e artista. Na coleção destacam-se os modernistas Almada e Amadeo, mas também estão aqui os naturalistas e uma rara coleção de «arte negra».

Quem tiver tempo para uma caminhada mais ou menos longa pode descer até ao rio e fazer a marginal a pé, passando pela zona mais histórica ligada ao vinho. Em cerca de uma hora – a andar com calma – chega-se à peculiar e cheia de caráter freguesia de pescadores São Pedro da Afurada. A sua história é dada a conhecer no Centro Interpretativo do Património da Afurada (CIPA), instalada num antigo barracão de material de pesca. O museu mostra a história da comunidade através de filmes, fotografias e objetos como lemes, lanternas e barcos em miniatura feitos por artesãos locais, entre outros elementos que retratam o trabalho e a vivência da comunidade.

Continuando pela margem, passa-se o estuário do Douro e chega-se a Lavadores, onde começam quilómetros de praia atlântica até Espinho. Praias airosas e passadiços confortáveis fazem deste um destino balnear e de passeio cada vez mais procurado. Depois de um dia de praia nada como ter por perto algo para confortar o estômago. Por estes lados, vale a pena ir comer os famosos croissants da confeitaria Príncipe dos Salgueiros, em frente à praia com o mesmo nome. O segredo, diz-se, está na manteiga, que dá aos croissants textura e sabor únicos. As calorias extra podem ser gastas na caminhada de regresso ao centro da cidade.

 

Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua das Presas, 174, Avintes, Vila Nova de Gaia
Telefone
227829051
Horário
Das 10h00 às 19h00


GPS
Latitude : 41.1181175
Longitude : -8.563742600000069
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua 5 de Outubro, 2792, Avintes
Telefone
220131495
Horário
Das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 22h00. Encerra terça.
Custo
(€) 15 euros


GPS
Latitude : 41.1016688
Longitude : -8.551795599999991
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua Teixeira Lopes, 32 (Mafamude) Vila Nova de Gaia
Horário
Das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Domingos das 10h00 ás 12h00 e das 14h00 às 17h00. Encerra segunda.
Custo
() Entrada livre


GPS
Latitude : 41.128638
Longitude : -8.611351499999955
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua António dos Santos, 10, Vila Nova de Gaia
Telefone
227812724
Horário
Das 10h00 às 18h00. Não encerra.
Custo
() Entrada gratuita


GPS
Latitude : 41.14347619999999
Longitude : -8.646709299999998
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua de Salgueiros, 66, Vila Nova de Gaia
Telefone
227718044
Horário
Todos os dias, das 06h30 às 20h00


GPS
Latitude : 41.121018
Longitude : -8.664622000000008