Ponja Nikkei estreia-se em Lisboa com a fusão das cozinhas peruana e japonesa

O ceviche é um dos pratos em destaque na carta do Ponja Nikkei. (Fotografia: DR)
Depois de Madrid, o grupo Quispe abriu no Chiado o seu primeiro restaurante em Portugal. Embaixador da fusão das gastronomias do Peru e do Japão, o Ponja Nikkei inclui ceviches, peças de sushi com peixe nacional e cocktails feitos com o tradicional pisco.

O Ponja Nikkei, instalado no piso térreo do novo hotel Montebelo Vista Alegre Chiado, é um templo à cozinha que resultou da fusão entre as gastronomias peruanas e japonesas. A origem remonta aos finais do século XIX, quando muitos japoneses imigraram para países da América do Sul, sobretudo o Peru. Adaptando-se à cultura local sem abdicar dos valores nativos, foram introduzindo pratos que combinavam tanto os produtos peruanos como as técnicas nipónicas, dando assim origem à tão rica e mundialmente elogiada cozinha nikkei.

“O nosso sonho sempre foi levar até outros países estes sabores explosivos”, afirma César Figari, fundador e diretor-geral do Grupo Quispe, que em 2021 abriu o primeiro restaurante da marca em Madrid, onde já opera outros três. Para Lisboa, trouxe a chef argentina Anahi Diaz, com uma década de experiência no Peru, para trabalhar em conjunto com Jeremías Urrutia, chef executivo. Perante o menu extenso, é seguro começar pelos ceviches, como o de corvina com leite de tigre, canchita, milho, batata-doce, cebola roxa e óleo de togarashi.

O ceviche de atum vermelho com leite de tigre, ponzu e alga crocante permite, por sua vez, entender as diferenças entre os dois países, pois ao contrário do original não leva milho. No capítulo dos nigiris há-os de vieira trufada, polvo com molho de azeite e atum vermelho com foie gras, entre muitos outros. Já nas entradas, vale a pena provar as gyosas recheadas com santola e pimenta amarela, com molho de frutos do mar e espuma de queijo, antes do lombo com cebola roxa, tomate, cogumelos, ostra, soja, mandioca frita e arroz de milho.

Das sobremesas sobressaem o suspiro limeño de chirimoya (merengue de anona, gergelim crocante e frutos vermelhos) e o cheesecake de lúcuma, uma fruta típica da Amazónia do Peru. Para acompanhar a refeição há opções de vinhos, mas o Ponja Nikkei aposta muito no tradicional pisco peruano, em duas variedades – pisco sour ou chilcano de pisco -, ambas preparadas com toda a mestria pelo chef de bar Julio Gallegos. Em alternativa há também cocktails sem álcool e uma variedade de sakés, símbolo da fusão entre culturas tão ricas.

 

Algo está a fazer com que o sistema não consiga mostrar a ficha ténica desejada. Pedimos desculpa pelo incómodo.




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend