No Bougain, em Cascais, o inverno traz novos clássicos (e esplanada aquecida)

O bife Wellington é uma das novidades da carta do Bougain, em Cascais. (Fotografia: DR)
O Bougain Restaurant & Garden Bar, no centro da vila de Cascais, renovou parcialmente o menu com novos pratos clássicos - considerados mais aconchegantes para o frio -, e introduziu aquecedores e cobertura na esplanada, para que o conforto da experiência se mantenha durante todo o ano.

A chegada do outono/inverno, marcado pela descida das temperaturas e pelos dias menos soalheiros, inspirou a chef Diana Roque (ex-Grupo Avillez) a renovar o menu do Bougain Restaurant & Garden Bar, cuja cozinha lidera há oito meses, desde que o restaurante abriu numa casa centenária no centro da vila de Cascais. A renovação de alguns dos itens do menu, disponível desde o dia 25 de novembro, abrangeu entradas, pratos principais e sobremesas, mantendo a filosofia do Bougain de trabalhar competentemente as muitas receitas da cozinha clássica.

Miguel Garcia, confesso “apaixonado pelos clássicos”, explica à “Evasões” a razão de assim ser. “A ideia não é reinventar a roda, é ir atrás da nostalgia do clássico e reproduzi-lo da melhor forma” com ingredientes de muita qualidade. Dono, desde há dois anos, do Grupo Café de São Bento, o responsável conhece bem o mercado, pois soma 22 anos de percurso no setor da hotelaria e restauração, tendo passado pela Suíça, onde trabalhou num hotel da cadeia Four Seasons, e depois sido diretor de hotel na cadeia Tivoli.

(Fotografia: DR)

(Fotografia: DR)

Enquanto Miguel dá nota da subtil instalação de aquecedores nas zonas exteriores e da cobertura amovível da esplanada, onde os clientes também têm mantas à disposição, os novos pratos vão chegando à mesa. Nas entradas, a chef Diana Roque propõe agora uma sopa de cebola gratinada, um bisque de carabineiro e uma tatin de legumes e burrata; enquanto nos principais entraram lombo de garoupa selada com puré de couve-flor e azeite de endro, um arroz de pato e enchidos e um bife Wellington, com um exigente, mas bem-sucedido, ponto de confeção.

Já no capítulo das sobremesas, os clientes podem agora pedir profiteroles com gelado de baunilha, chocolate quente e pistacho e uma torija, rabanada espanhola com gel de laranja e mascarpone de laranja. Na carta mantêm-se, de resto, as receitas clássicas já muito pedidas, como os camarões ao alho, o arroz de carabineiro e o entrecôte. Para beber, além de 110 referências de vinhos portugueses, franceses e italianos, há cocktails clássicos e de autor feitos no bar, capazes de acompanhar longitudinalmente toda a refeição.

(Fotografia: DR)

(Fotografia: DR)

O Bougain Restaurant & Garden Bar situa-se no interior de uma casa de veraneio de 1910, cujo jardim de buxo em estilo francês, com bancos debruados a azulejos, é o principal cartão de visita – sendo aí, aliás, que se localizam as buganvílias que lhe dão nome. A casa, que ao que se sabe foi encomendada por Marcelino Nunes Correia – um self made man natural de Pedrógão Grande que migrou para Lisboa e teve vários negócios -, é hoje a morada do The Pergola Boutique Hotel, com 15 quartos de charme, cuja gestão é independente da do restaurante.

 

Algo está a fazer com que o sistema não consiga mostrar a ficha ténica desejada. Pedimos desculpa pelo incómodo.




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend