Muito Portugal na nova carta do Astória, no Porto

Arroz caldoso de tortulhos (Fotografia de André Rolo/GI)
Vítor Santos estreia-se como chef executivo do restaurante da Baixa do Porto apresentando comida que quer ser um elogio às raízes lusas, em múltiplos diálogos geográficos

O assunto é “sabores portugueses”. Vítor Santos tornou-se chef executivo do restaurante Astória do hotel InterContinental Porto – Palácio das Cardosas no início de 2024 e em maio chegou o tempo de apresentar a primeira carta numa casa que já teve a sua dose de mudanças – de conceito, até de localização no vasto e histórico edifício da Baixa do Porto.

Ideias fortes no elenco alimentar por si escolhido? “Mais foco no produto do que na técnica”, com a atenção virada para as “raízes” da identidade nacional. Além disso, fomentar a “partilha à mesa”, traduzida num conjunto de entradas que inclui amêijoas carpaccio de polvo (suculento) e uma tábua de sabores portugueses, pluralista, onde figura bacalhau com grão-de-bico, polvo em molho verde, costelinha com pickles, croquetes de novilho e, em destaque, peixinhos da horta de sabor intenso e com a fritura certa.

(Fotografia de André Rolo/GI)

O rol de pratos principais não se dispersa numa oferta quilométrica. Do mundo aquático, prova-se um gordo pregado (elogio), amanteigado, a que a batata nova sauté, a pak choi salteada, o molho Madeira e a acidez da banana do mesmo arquipélago emprestam nuances múltiplas. Um trio de preparados com arroz caldoso tem direito a categoria à parte na carta, e o de tortulhos da serra é uma das “grandes apostas” do chef, com arroz malandro segue pela tradição, cremoso e denso e picante q.b., envolvendo os robustos cogumelos titulares, enquanto a bochecha de porco, crocante, é sujeita a tempura e sai bem tratada.

Nas sobremesas, a massa do míni pão de ló de Ovar merece atenção especial, um pouco menos húmida do que é habitual; vem com sorvete de tangerina e também discretos frutos vermelhos. Quanto aos vinhos, foi entrando em cena o Bella Élégance Sauvignon Blanc 2022 (Dão, branco e fresco para as entradas), o Esmero vinhas velhas branco 2019 (Douro, em diálogo com o pregado) e o tinto e de novo duriense Roquette & Cazes 2019 (antiguidade aliada aos tortulhos da serra).

Chef Vítor Santos (Fotografia André Rolo/GI)

Vítor Santos vem de perto, de Rio Tinto. E quer demonstrar que, perante um “fine dining” circundante que diz estar “a morrer um bocadinho e a ficar fora de moda”, estas seleções nacionais são um caminho certo.

Astória
Praça da Liberdade, 25
Tel.: 220 035 639
Web: astoriarestaurante.com
Das 12h30 às 15h e das 19h30 às 22h30. Não encerra.
Preço médio: 79 euros/pessoa (entrada, prato principal, sobremesa)




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend