É Natal: jantares solidários à moda da Síria e da Eritreia

Marhaba Kitchen: jantares solidários de Natal com cozinhas da Síria e da Eritreia
"Marhaba Kitchen: All You Can Help - um evento pop up onde se junta a fome coma vontade de ajudar". Este é o mote criado pela agência criativa The Hotel, sediada em Lisboa, que se associou à Crescer e ao projeto Marhaba, destinado a apoiar refugiados da Síria e da Eritreia através da cozinha, para realizar, até 16 de dezembro, jantares solidários de Natal às quintas, sextas e sábados.

Já falei aqui desta causa, mas nunca é demais relembrá-la:

Meses atrás, o chef Nuno Bergonse, que conhecemos de restaurantes como o Pedro e o Lobo ou o Duplex, aceitou o desafio da Crescer, uma associação de integração comunitária, para assumir uma escola-restaurante destinada aos sem-abrigos (que espera luz verde para abrir portas na rua das Pretas, em Lisboa) e para apadrinhar o projeto Marhaba – O Médio Oriente à Mesa.

Evitando ao máximo o rótulo “refugiado”, Marhaba (quer dizer bem-vindo) foi criado inicialmente por nove homens oriundos da Síria, da Palestina e da Eritreia que, através da cozinha dos seus países, tentam criar algo de duradouro que lhe permita assegurar uma vivência autónoma em Portugal assim que deixarem de estar tutelados pela câmara (o apoio tem a duração de 18 meses). Foi assim que surgiram os primeiros almoços na Fábrica Braço de Prata e brunchs na Casa Independente ou que, graças à boa adesão e ao boca a boca, apareceram novos parceiros dispostos a mais do que só o estritamente necessário ou politicamente correto.

É o caso da agência criativa The Hotel, que, através da Crescer, quis saber mais sobre esta causa para dar o seu contributo. Para isso disponibilizaram The Hall, um espaço pop-up destinado à ativação de marcas, e criaram o evento Marhaba Kitchen: All You Can Help. A ideia, mesmo para quem não entenda muito de inglês, é ajudar — mas não ajudar por ajudar. Até dia 16 de dezembro, às quintas, sextas e sábados, a partir das 20 horas, famílias oriundas da Síria (7, 9 e 15) e da Eritreia (8, 14 e 16), com a supervisão de Bergonse, vão servir à vez um menu que inclui entrada, prato principal, sobremesa, água, chá e vinho (2 copos) pelo valor-donativo de 20 euros — quem desejar, pode contribuir com mais e, no final, deixar ainda o seu contacto para ajudar de outras formas à integração destes homens, mulheres e crianças na nossa comunidade.

As especialidades servidas são típicas da Síria e da Eritreia, com capacidade para até 24 pessoas, sendo que se juntaram à iniciativa outras marcas como a Fiuza (vinhos), EnaGrupo (equipamentos) ou a Amor e Lima (decoração).

Dito isto, é ou não um belíssimo pretexto para reunirmos os amigos, a família e/ou os colegas num jantar que, sem abdicar do convívio e da diversão, faz verdadeiramente jus ao espírito da época?

 

Mais informações sobre datas e reservas, aqui

 

[Sigam-me também no Instagram para mais estórias visuais]