Guia Michelin: 2017 será um ano de ouro para Portugal

O anúncio foi feito esta quinta-feira por dois responsáveis do Guia Vermelho, num encontro com jornalistas espanhóis, contrariando o secretismo habitual em torno dos galardoados: Portugal vai duplicar o número de estrelas Michelin.

Ainda falta mais de um mês para a cerimónia oficial de apresentação da edição de 2017 do Guia Michelin, que irá realizar-se a 23 de novembro, em Girona. No entanto, e contrariamente ao que é habitual, surgiram as primeiras declarações sobre os restaurantes distinguidos, e Portugal e Espanha têm razões para comemorar.

Segundo uma notícia da agência EFE, publicada pelo jornal El Diario, o diretor de relações externas do Guia Vermelho e a diretora comercial da Michelin Travel Partner, Ángel Pardo e Mayte Carreño, deixaram antever um resultado muito melhor que o esperado: Portugal irá duplicar o número de estrelas Michelin.

 


Leia a opinião de Fernando Melo sobre os possíveis vencedores portugueses das estrelas do Guia Michelin.


 

«Vai ser um ano muito bom, o melhor para Portugal e Espanha desde há muitos anos», afirma Mayte Carreño, adiantando ainda que os galardões não vão estar centrados apenas nos «destinos já consolidados». Quer isto dizer, no caso português, que as estrelas não se limitarão apenas a Lisboa e Algarve.

Contas feitas, a edição nacional do Guia Vermelho totaliza, de momento, 17 estrelas, repartidas por três restaurantes com duas insígnias e outros onze com uma (a saber: Belcanto, Lisboa; Vila Joya e Ocean, ambos no Algarve, no primeiro caso; e, no segundo, Pedro Lemos, Porto; Yeatman, Gaia; Largo do Paço, Amarante; Feitoria e Eleven, Lisboa; Fortaleza do Guincho, Cascais; Willie’s, Henrique Leis, São Gabriel e Bon Bon, no Algarve; e Gallo d’Oro, na Madeira).

A confirmar-se a notícia, os restaurantes distinguidos pela Michelin podem ultrapassar as duas dezenas, um resultado «bombástico», nas palavras do próprio diretor. Para saber quais os escolhidos, é preciso esperar pelo dia 23 de novembro. Mas o crítico de comida e vinhos Fernando Melo avança já com uma previsão.