Fariña: pão e pastelaria artesanal a dois passos da Ribeira, no Porto

O rolo de canela é um dos produtos de pastelaria da Fariña. (Fotografia de Artur Machado/Global Imagens)
Após um ano de vida, a padaria Fariña ganhou uma casa na Rua de Belomonte. Pão de fermentação natural e doçaria à base de massa brioche preenchem a montra do pequeno espaço.

A loucura do pão caseiro durante a pandemia levou muita gente a pôr as mãos na massa, e em certos casos, o passatempo chegou mesmo a dar origem ao negócio. Como aconteceu com a padaria Fariña, que celebrou o primeiro ano de funcionamento, em fevereiro, com a abertura da loja na Rua de Belomonte.

O pequeno espaço conserva as paredes de pedra originais. (Fotografia de Artur Machado/Global Imagens)

O pão é produzido com farinhas moídas em mó de pedra. (Fotografia de Artur Machado/Global Imagens)

O projeto é do casal Vasco Santos e Bebiana Branco, que vieram para o Porto, após ficarem sem emprego no hotel onde trabalhavam em Odeceixe, na Costa Vicentina. Vasco, formado em hotelaria, “já tinha bases de fermentação natural”, começa por contar Bebiana, que tem a seu cargo o atendimento da padaria. Fomos fazendo testes, dando a experimentar a amigos, e quando vimos que podia resultar, abrimos a empresa e criamos a marca”.

O primeiro ano de vida foi feito com entregas ao domicílio e presença assídua no Mercado da Alegria, que acontece ao domingo no Jardim do Passeio Alegre. Foi no evento que a marca se deu a conhecer e que começou a fidelizar clientes, pelo que é um lugar especial para casal, que tenta sempre apresentar algo novo. “A nossa ideia sempre foi variar muito a oferta. Procuramos ter sempre coisas novas”, explica. É esta inquietação, associada a combinações improváveis de sabores e ao aspeto tosco – aqui valoriza-se o sabor e não o aspeto -, que levou o casal a publicitar a Fariña como uma “badass bakery” (em português, “padaria rebelde”). Na base, tanto dos produtos de padaria como de pastelaria, está sempre a paciência que a fermentação natural requer, farinhas nacionais moídas em mó de pedra na Paulino Horta, sal e água.

Os palmiers, clássicos ou com frutos vermelhos, são um dos produtos de pastelaria ali vendidos. (Fotografia de Artur Machado/Global Imagens)

A fermentação faz-se durante, no mínimo, 12 horas, e dela resultam os pães de mistura, de nove sementes, de espelta, com cacau, chocolate e frutos secos, com figo seco e roquefort, e as focaccias de tomate cherry, manjericão e azeitona ou de gorgonzola e pêssego. Já os doces, que se apresentam bem apetitosos na montra, vão variando. Tanto pode haver pão de deus, como croissants, rolos de canela, brownie, cookies e palmiers clássicos ou de frutos vermelhos. A ideia é surpreender a clientela que chega ao pequeno espaço, próximo da Ribeira.

 

Partilhar
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua de Belomonte, 20, Porto
Telefone
910509764
Horário
Das 9h às 19h. Encerra de domingo a terça.
Custo
() Pão desde 3,20 euros; pastelaria desde 1,5 euros


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend