Estas são ideias de chef para cozinhar num réveillon caseiro

Passar o final do ano em casa não tem de ser o fim do mundo. Bem pelo contrário. Eis algumas sugestões para o réveillon caseiro inesquecível no que toca à comida, com sugestões de «chefs».

É uma daquelas dúvidas que aparece sempre que alguém decide dar uma festa. Sobretudo num dia tão especial. Ir buscar um frango assado à churrasqueira do bairro (se estiver aberta) é sempre uma boa solução, mas convenhamos que não tem o mesmo charme que preparar um menu. Dá mais trabalho, é certo, mas é possível fazer um brilharete sem complicar.

 

Receita de Ljubomir Stanisic

O chef bósnio, líder do restaurante 100 Maneiras, em Lisboa, e apresentador do Pesadelo Na Cozinha, diz que umas bolinhas de bacalhau nunca deslustram. A mesma questão: não será demasiado simples para um data destas? Não, não e não, de tal forma que fizeram mesmo parte da carta do Bistro 100 Maneiras e podem voltar a qualquer momento. «Além disso é uma ótima forma de aproveitar o que sobra do Natal e evitar custos extra». Para quem quiser alargar um bocadinho os cordões à bolsa sugere ostras. Nem todos os produtos são baratos, é certo, mas não é preciso ter-se fornecedor especial nem ser-se chef para confecioná-los. O frango assado pode ficar para o dia da ressaca.

Lista de compras
Para a sugestão de Ljubomir Stanisic, chef do 100 Maneiras:
– Bacalhau
– Ostras

 

Receita de Pedro Mendes

Quem não é capaz de preparar uns legumes assados? Batata-doce, abóbora, courgette, couve-flor, beterraba e cebola roxa. Tudo cortado grosseiramente e colocado no forno com alho esmagado, azeite, alecrim e sal. Sugestão de Pedro Mendes, chef do restaurante Maria Pia, em Cascais, e do Alentejo Marmòris Hotel & Spa, em Vila Viçosa. Demasiado simples? O chef sugere mais. Camarão tigre grelhado, por exemplo, que vai sempre bem numa ocasião destas, ou tártaro de atum. Corta-se o atum fresco em cubos pequenos, junta-se molho de soja, óleo de sésamo, gengibre em pickle picado, sementes de sésamo e coentros e serve-se em tostas (ao jeito de canapés) com ovas de lumpo por cima. É parecido com caviar, mas mais barato.

Demasiado complicado? O chef garante que não, mas sugere algo (ainda) mais simples: salmão no forno com funcho. «Enche-se» a barriga do peixe com limão em gomos, rama de funcho, tempera-se de sal e umas nozes de manteiga, embrulha-se numa folha de alumínio, leva-se ao forno e já está. Falta um: Brás de algas. A preparação é igual ao bacalhau à Brás, mas substitui-se o peixe por algas wakame cozidas. Pode ser acompanhado por vieiras, que vão para o lume (numa frigideira em azeite bem quente) na hora de servir.

Lista de compras
Para as sugestões de Pedro Mendes, chef do restaurante Maria Pia:
– Batata-doce, abóbora, courgette, couve-flor, beterraba, cebola roxa, alho, azeite, alecrim e sal.
– Camarão tigre
– Atum fresco, molho de soja, óleo de sésamo, gengibre em pickle picado, sementes de sésamo e coentros, tostas, ovas de lumpo.
– Salmão fresco, limão, funcho, sal, manteiga
– Algas wakame, batata, ovos e vieiras

 

Leia também:

Nova discoteca de Lisboa abre na passagem de ano
Estes petiscos da Póvoa têm o cunho de uma Masterchef
Comida de supermercado para improvisar em casa