Almoços executivos no Eleven com um museu no menu

Ir ao Eleven e estar rodeado por reproduções de obras do Museu Nacional de Arte Antiga é possível desde há uns meses. Os Painéis de São Vicente ou um biombo de Namban são duas da peças que estão nas paredes do restaurante.

O menu executivo muda todas as semanas, o que não muda é a garantia de qualidade dos pratos chef Joachim Koerper e da sua equipa. A conhecida inspiração mediterrânica mantém-se também nesta refeição, mas a preço mais acessíveis. Já o restaurante, além da vista que é a sua imagem de marca, ganhou oito reproduções de obras do Museu Nacional de Arte Antiga nas suas paredes. É agora possível admirar a feira da ladra na Praça da Alegria, de inícios do século XIX, de Nicolas Delerive. Ou a pintura do retrato de Família numa Paisagem, de Pieter de Grebber, do século XVII, além de obras mais famosas entre nós, como os Painéis de São Vicente, de Nuno Gonçalves, do século XV, ou o biombo Namban, do século XVII. Mas em breve o Eleven terá uma obra do século XXI, que será colocada na entrada: a Valquíria, de Joana Vasconcelos.

Os pratos dos business lunches, ou menus executivos, do restaurante Eleven variam semanalmente e compõem uma carta com duas opções de entrada, de prato principal e de sobremesa. Os clientes poderão optar por entre um a três pratos diferentes e os preços variam entre 17,50 euros (1 prato), 28 euros (2 pratos) e 35 euros (menu completo). As bebidas são à parte e um copo de vinho fica a 4 euros. Caso um dos pratos deste menu tenha muito sucesso, passa para a carta principal. Mas, à partida, além dessa semana, não são repetíveis, transmitindo uma sensação de exclusividade. É uma proposta sobretudo para quem quer almoçar num local com um ambiente selecionado, com uma excelente vista sobre Lisboa, estacionamento privado, que oferece uma cozinha de autor, um serviço discreto e personalizado e a tranquilidade necessária para um almoço de negócios.

Entretanto, a nova carta principal do Eleven vai ser lançada no final deste mês e há a promessa de uma grande mudança. Terá mais inspiração portuguesa, com a particularidade de através da vista sobre a região de Lisboa que o restaurante oferece se poder ver de onde vêm os produtos, como os que têm origem na zona da Arrábida.