O melhor bar da cidade é aquele que está em ruínas

Há Buda e há Peste. Há uma cidade em que passado e futuro se encontram.

Há muitas razões para visitar a capital do antigo Império Astro-húngaro. Se pensarmos que da sua História mais recente fizeram parte dois regimes completamente diferentes, primeiro a ditadura nazi e depois, até 1991, a União Soviética, conseguimos perceber as marcas que dois domínios tão distintos deixaram na cidade. Mas depois de antigos edifícios e bairros se terem tornado em bares e polos de cultura e modernidade, agora Budapeste apresenta-se como uma cidade moderna, um destino cool e jovem.

Uma das maiores atrações de Budapeste são os ruin bars, que como o próprio nome indica, são bares que nasceram a partir de edifícios em ruínas. Localizados no distrito judeu, começaram a aparecer após a Segunda Guerra Mundial, quando muitas casas do gueto foram abandonadas e passaram a ser usadas pela população como espaços de reunião e discussão cultural. Na ausência de apoios do governo, foram decorados com despojos das casas, como bicicletas, ecrãs de TV antigos, manequins, bonecos de lata, cabeleiras, entre outros. O que na altura foi uma forma de “encher” o espaço, hoje apresenta-se como um verdadeiro decalque das casas daqueles tempos, um precioso resquício de História (de tempos infames mas que, ainda assim, devem ser recordados para que possamos aprender com eles).

Mas há muito mais do que bares em ruínas (por mais encantadores que sejam) para conhecer em Budapeste, por isso o melhor é ler mais sobre este – e muitos outros – destinos revigorantes que lhe sugerimos. E depois, partir em viagem!