Arraiolos: de tapete estendido à gastronomia

Durante o mês de novembro, Arraiolos celebra a sua gastronomia com uma mostra que reúne o melhor da região no prato e no copo. Mais um argumento de peso para vir descobrir o destino alentejano este Outono.

No distrito de Évora, em pleno Alentejo Central, Arraiolos é uma terra cuja fama se estende muito para além das suas fronteiras. Indissociável dos tapetes coloridos, bordados à mão com lã usando o chamado “ponto de Arraiolos”, é este o principal cartão-de-visita da vila, com várias pequenas fábricas e casas de artesanato onde ainda é possível ver as bordadeiras em ação, mantendo viva uma tradição cuja primeira referência conhecida data do século XVI. A peça é tão fundamental na história de Arraiolos que é a ela dedicado o Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos, espaço museológico aberto em permanência, cuja missão consiste, precisamente, no estudo, divulgação, conservação e valorização deste património.
Mas se o tapete de Arraiolos é a face mais conhecida desta vila, está longe de ser o único objeto digno de estudo. Afinal, estamos no Alentejo. O Alentejo onde o tempo passa mais lentamente, onde a terra é mais ampla, onde as mesas estão mais cheias. E a gastronomia é, claro, motivo de orgulho dos locais e razão para peregrinação de quem chega. É assim o ano inteiro, mas mais ainda em novembro, quando o concelho organiza a Mostra Gastronómica de Arraiolos. A iniciativa, que acontece todos os anos, estende-se por diferentes restaurantes do concelho, que servem nesta altura alguns dos produtos e receitas locais mais tradicionais.
Os doces conventuais, os bons vinhos regionais, o mel, os queijos, as ervas aromáticas, os enchidos, as sopas alentejanas, açordas e migas e os pratos de porco, de borrego e vitela são algumas das estrelas que desfilam pelas mesas, para serem provadas, sem pressas, seguidas de um bom licor. Entre as especialidades à prova, encontra-se também a Empada de Arraiolos, marca registada cujo sucesso se divide entre a massa, feita com a água da cozedura da galinha do campo e banha de porco, e o recheio, com galinha, chouriço de carne, toucinho entremeado e condimentos e ervas como a salsa e manjerona.
Mesas fartas pedem passeios amplos e é isso que Arraiolos oferece também, com paisagens e monumentos que valem bem uma visita. É o caso do seu castelo circular, um dos poucos no mundo a apresentar esta marca arquitetónica, situado no alto do Monte de S. Pedro, ou do bonito Convento de Nossa Senhora da Assunção, hoje convertido em Pousada. Fora de portas, existem também percursos pedestres e uma ecopista para percorrer a pé ou de bicicleta. Basta que o tempo ajude. Até porque, já se sabe, tempo é coisa que não pode faltar para viver verdadeiramente o Alentejo.

 

ARRAIOLOS EM TRÊS TEMPOS

Tapete de Arraiolos
Ver de perto o mais famoso habitante de Arraiolos é, claro, obrigatório. Para conhecer a história destes tapetes, o melhor ponto de partida é o CITA, aberto de terça a domingo.

Empada de Arraiolos
Não é apenas mais uma empada, como prova o registo da marca. A receita reflete uma relação íntima com a gastronomia e ruralidade da região, usando alguns dos melhores produtos locais para a confecionar. O ideal é provar “in loco” e levar algumas para a viagem.

Centro Interpretativo Mundo Rural
É para preservar um modo de vida já quase desaparecido e dá-lo a conhecer às novas gerações que foi criado este centro, onde se reúnem objetos agrícolas, documentos e fotografias que recordam um outro Alentejo. Duro e desigual, mas real. Uma história que merece ser contada.

desenhados para inspirar e criar uma maior proximidade entre os leitores e as marcas.




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend