«Quando se começa a beber artesanais não se volta atrás»

(Fotografia de Pedro Granadeiro/GI)
Depois de ter passado cinco anos como correspondente no Médio Oriente da Associated Press, o norte-americano Steve Hindy voltou à sua terra natal e trocou o jornalismo pela cerveja. Em Nova Iorque abriu uma das primeiras cervejarias artesanais que contribuiu para a chamada «revolução da cerveja artesanal»: a Brooklyn Brewery. Steve Hindy esteve no Bonaparte Baixa, no Porto, para apresentar a cerveja que começa agora a ser distribuída em Portugal.

Teve contacto com cervejas caseiras quando era correspondente no Médio Oriente. Como aconteceu isso?
Na Arábia Saudita, onde o álcool é proibido, havia diplomatas americanos que conseguiam arranjar ingredientes para fazerem as suas próprias cervejas. E foi com eles que comecei a beber.

Também fez cerveja enquanto estava no Médio Oriente?
Eu não conseguia. Só comecei a fazer quando regressei a Nova Iorque.

Foi um autodidata?
Sim. Aprendi por mim na minha cozinha.

Quais as primeiras cervejas que fez?
As minhas favoritas eram as mais escuras, porters e stouts. É possível fazer ótimas cervejas caseiras destes estilos.

Continua a preferir as cervejas escuras?
Na verdade, tenho cerveja à pressão em casa e agora está lá uma sour [um estilo de cerveja mais ácido]. Gosto de ir fazendo experiências em casa. Quando saio para beber, a minha favorita é Brooklyn Lager.

Quando fundou a Brooklyn, em 1987, os norte-americanos conheciam as cervejas das grandes indústrias. Como se conseguiu mudar mentalidades e gostos?
Fiz muitos jantares e provas de cerveja para educar as pessoas. Os jantares são melhores. Quando se faz uma prova de seis ou sete cervejas, as pessoas começam a ficar embriagadas. Por isso, não prestam atenção. Mas com jantares, comem enquanto vão bebendo e estão mais atentas. Depois, quando se começa a beber artesanais, não se volta atrás.

Considera a ligação entre cerveja e comida essencial?
É essencial devido a estas razões práticas, mas também porque a cerveja é uma bebida muito versátil. Há muitas comidas que não ligam assim tão bem com o vinho. A ideia de, por exemplo, ligar vinho e queijo, para mim não faz sentido – é uvas e leite. Agora, cereal e leite ligam muito melhor.

Cervejas americanas em Portugal
São três as Cervejas da Brooklyn Brewery que estão a ser comercializados em Portugal: a Original (uma american amber lager), uma East IPA (Indian Pale Ale com lúpulos americanos) e a Naranjito, uma American Pale Ale com aroma cítrico de laranja.