Roteiro para conhecer a noite de Cacilhas

Esplanadas cheias, amigos e famílias à conversa e vistas desafogadas sobre o Tejo e Lisboa. Enquanto o verão não chega ao fim, vale a pena cruzar o rio e conhecer os bares que fazem mexer Cacilhas.

Nas primeiras noites quentes de verão, a calçada da rua Cândido dos Reis parece perder espaço para  as mesas de esplanadas. Em troca, recebe amigos, famílias, em serões e conversas que se prolongam até horas tardias aos fins de semana. O padrão repete-se até ao final de setembro ou até as noites quentes deixarem de se fazer sentir.

É assim desde 2012, ano em que aquela artéria de Cacilhas fechou ao trânsito e passou a pedonal. O comércio mexeu; novas lojas, restaurantes e bares abriram e as noites da margem sul ganharam outro ritmo.

Um dos primeiros novos inquilinos foi o Chá de Histórias, que veio surpreender com a mobília antiga, o espírito acolhedor de «casa da avó» e com os nostálgicos jogos de tabuleiro ou de cartas guardados nas prateleiras dos armários, que qualquer um pode tirar e jogar. Monopólio, Risco, Trivial, Uno, Quatro em Linha, Dixit, Micado, Xadrez e Damas são só alguns e às quintas-feiras, de quinze em quinze dias, reservam-se mesas para torneios de quizz, a partir das 22h00. No verão, os jogos ficam lá dentro, porque a animação passa pela grande esplanada até às 02h00, onde é difícil encontrar lugar para sentar.Para acompanhar o serão, há gins para provar, cervejas nacionais, sumos naturais servidos em caneca e muita variedade de tostas, que ocupam uma página inteira das ementas, forradas com capas de livro de banda desenhada.

Mesmo em frente está outro popular destino de quem não dispensa uma cerveja ou um gin em cima da mesa. O nome da Birraria Beer & Gin nasce de uma feliz coincidência entre o apelido do seu fundador – João Birra –e a palavra italiana «birra», que significa cerveja. Escusado será dizer que esta é o elemento principal do bar, mesmo que não seja obrigatória a experiência. Quem quiser provar algo diferente tem sempre as cervejas artesanais, que saem de várias torneiras, entre as quais a da casa, a cerveja Burra. O espaço merece também destaque só por si: as mesas de madeira e os quadros coloridos nas paredes, sempre de exposições diferentes, dão vontade de ficar mais tempo, embora a esplanada ganhe pontos no verão.

Descendo a Cândido Reis em direção aos cacilheiros, encontra-se o Travessia, bar que cruzou o Tejo há cerca de seis meses. Há bem mais tempo nesta margem do rio está o seu proprietário, João Montez, que quis ajudar a diversificar  a zona onde cresceu. Uma estada em Los Angeles, que se prolongou durante os dois anos em que lá estudou representação, inspirou-o a dar nome ao gastrobar. E ditou a diversidade dos petiscos, como os nachos mexicanos, as bruschettas, os croquetes de alheira e as muitas piadinas (sanduíche italiana), que fazem também de prato principal.  Aqui a escolha é feita ao contrário: os petiscos e pratos é que acompanham as bebidas, que são as rainhas da noite. Os cocktails com e sem álcool são de autor e preparados por Ricardo Serrano, que já passou pelo hotel mundial, o Tivoli Lisboa e o Hard Rock. Mas não se esquecem os clássicos, nem as sangrias, de espumante de frutos vermelhos ou de meloa.

Quem também não foi esquecido na memória dos que por aqui vivem foi o Ginjal Terrasse, no cais do Ginjal, a um minuto a pé do terminal de barcos. É  um dos bares da moda, frequentado pela geração mais jovem, e o seu espaço é uma referência em Cacilhas por ter sido ocupado durante longos anos pelo conhecido restaurante Floresta do Ginjal. Atualmente é gerido por uma associação cultural, que dinamiza o terraço com concertos e vários espetáculos, mas a vista para o rio também não passa despercebida.

Falar em cenário deslumbrante é também falar do bar Boca do Vento. Apanhando o elevador panorâmico no Ginjal, sobe-se até a um miradouro, de onde a paisagem se prolonga até Lisboa, com as luzes da ponte 25 de abril a cintilarem à noite. O espaço, que abre às 11h00, serve refeições ligeiras e aposta nos gins durante a tarde e a noite, com oito referências portuguesas a marcar a diferença. A 17 de setembro, esta bebida recebe influência japonesa num jantar Sushi & Gin (27,50 euros por pessoa, com direito a workshop de gin), que pede marcação prévia. Para os que dispensam a bebida, indicam-se os cocktails inspirados nas Caraíbas, que preparam o adeus ao verão. Mais uma desculpa para aproveitar os últimos dias de calor, junto ao rio, com vista para Lisboa.

 

Boca do Vento
Largo da Boca do Vento
Tel.: 914406981
Facebook: Boca do Vento
Domingo a quinta, 11h00 às 00h00. Sexta e sábado, 11h00 às 02h00. Encerra quarta

Ginjal Terrasse
Cais do Ginjal, 7
Tel.: 210958715
Web: facebook.com/ginjalterrasse
Terça a quinta, das 19h00 às 01h00. Sexta e sábado, das 19h00 às 04h00.

Chá de Histórias
Rua Cândido dos Reis, 129
Tel.: 212744084
Web: facebook.com/chadehistoriascacilhas
Domingo a quinta, das 17h00 às 00h00. Sexta e sábado, até às 02h00. Encerra segunda

Birraria
Rua Cândido dos Reis, 140
Tel.: 212745938
Web: facebook.com/BirrariaBarCafe
Terça a quinta, das 18h00 às 01h00. Sexta e sábado, até às 02h00

Travessia
Rua Cândido dos Reis, 96
Tel.: 212761275
Web: facebook.com/travessiabar2016
Terça a quinta, das 18h00 às 00h00. Sexta a sábado, das 18h00 às 02h00

 

PARA PETISCAR

Trincadoria
Pataniscas de bacalhau, peixinhos da horta, choco frito, asinhas picantes, morcela com ananás e tábuas de enchidos. Assim é parte do menu da Trincadoria, onde as amigas de longa data Alice e Gracinda convidam todos a pôr o verbo em prática com os petiscos nacionais que preparam.
Rua Cândido dos Reis, 47 A
Tel.: 210871890
Web: facebook.com/trincadoria
Todos os dias, das 10h00 às 00h00

Casa da Avó Berta
A bisavó de Andreia Lima serviu de inspiração para uma loja dedicada a produtos nacionais, da cerâmica às conservas, sem esquecer os brinquedos antigos. E, ou não se estivesse numa“casa de avó”, há muito por onde comer e beber neste espaço. Para provar há tapas, algumas feitas com as conservas, tartes e scones; e para acompanhar, os refrescos de capilé e de groselha.
Rua Cândido dos Reis, 51A
Tel.: 215963696
Facebook: Casa da Avó
Terça a sábado, das 11h00 às 00h00. Domingo, das 11h00 às 20h00

Casa das Artes Meia Volta de Grano
Um centro de artes, que é também uma livraria e um bar. Há noites de poesia, de concertos ao vivo, de teatro, de iniciação ao xadrez (gratuito, às terças) e jam sessions (quintas). Seja qual for o dia, vale sempre a pena aproveitar este cantinho especial e petiscar uma tosta, ao sabor de uma caipirinha ou de um sumo natural. O balcão merece atenção especial: está todo decorado com livros.
Rua Cândido dos Reis, 49
Tel.: 265405931
Facebook: Meia Volta de Úrano
Todos os dias, das 11h00 às 00h00

 

PARA SOBREMESA

Amor Gelado
Há uns anos, Gonçalo Malafaia rumou à Alemanha para receber formação do cunhado italiano. O resultado da aprendizagem refletiu-se nesta gelataria, que já celebrou dois anos em Cacilhas. Privilegia a fruta na hora de fazer os gelados e aposta nos sorvetes, mas não deixa de parte sabores como oreo e kinder bueno. Serve também crepes, waffles, batidos de gelado e chocolate quente.
Rua Cândido dos Reis, 5
Tel.: 962369264
Facebook: Amor Gelado
Domingo a quinta, das 12h00 às 23h00. Sexta e sábado, até às 00h00.
Preço: a partir de 1,80 euros

Gelato Davvero
Amiga do mestre gelateiro Filippo Licitra, Marta Santos resolveu embarcar nesta aventura, em 2015, quando o primeiro se juntou ao amigo Riccardo Farabegoli para abrir o Gelato Davvero no Cais do Sodré. Marta aliou-se à cunhada, Helena Daniel, e juntas gerem o outro espaço da marca, em Cacilhas, que abriu 20 dias depois. Os sabores por vezes diferem entre as duas lojas, mas há sempre uma boa seleção, vários tamanhos e tipos de cone para escolher.
Rua Cândido dos Reis, 29
Tel.: 960430270
Web: facebook.com/gelatodavve
Terça a domingo, das 13h00 às 23h00. Sexta, sábado e domingo, até às 00h00.
Preço: a partir de 1,50 euros