Grande Lisboa: 11 cocktails para refrescar o verão

O Electric Lady é uma das sugestões do bar Electric Shaker para o verão. (Fotografia: Pedro Rocha/GI)
Conheça a seleção de cocktails que seis bartenders da Grande Lisboa criaram para refrescar o verão.

1 | Monkey Mash: O irmão tropical do Red Frog

É mais descontraído, simples e jovial do que o irmão mais velho, o conceituado Red Frog, mas recusa a cair no óbvio e não descura a criatividade. «Aqui, ela é menos visível, mas está escondida no sabor», explica Emanuel Minez, metade da dupla que acaba de abrir o Monkey Mash, a nova casa de cocktails tropicais com base na cana e no agave, junto à Praça da Alegria.

Para Paulo Gomes, head bartender, o seu Savage Damage, é a definição perfeita de verão, cítrico e frutado. «É uma desconstrução de um taco árabe» e uma espécie de Margarita reinventada. Junta tequila, licor Dry Curaçao e um molho de salsa verde composto por coentros, manjericão, ananás e chillis. No rebordo do copo, uma mistura de especiarias za’atar e ananás desidratado por cima, ou não fosse esta uma casa que aposta na sustentabilidade e no reaproveitamento de sobras.

É também na reinterpretação que Gomes se inspirou para o Like a Bird in a Jungle, um dos mais de 20 cocktails de autor que mais apela aos dias quentes. Na prática, nasceu da união entre dois clássicos, um Negroni e um Jungle Bird. «É um Negroni que sai da sua zona de conforto e se solta na selva», explica o head bartender. No copo, mistura tequila, vermute e uma infusão de casca de café que lhe dá umas notas de rosa. No topo, é decorado de forma original, com chips de coco e de chutney de manga. Alguém chamou pelo verão?

SAVAGE DAMAGE (9,50 euros): Tequila, licor Dry Curaçao, molho de salsa verde, za’atar e ananás desidratado

LIKE A BIRD IN A JUNGLE (11 euros): Tequila, vermute, infusão de casca de café, chips de coco e relish de manga

S. Francisco (Fotografia: DR)

2 | SUD Pool Lounge: Frescura e uma vista única para o Tejo

A Ponte 25 de Abril impõe-se bela e imponente na paisagem, em tons de vermelho, e prende quase todas as atenções – não todas, porque há uma piscina infinita que parece unir-se com o azul do Tejo e outros bons pretextos para desviar o olhar para a carta. Os novos cocktails de verão são um bom exemplo, e um deles – coincidência ou não – chega à mesa nos mesmos tons avermelhados da ponte e chama-se S. Francisco. Leva licor grenadine com sumo de pêssego, laranja e ananás e concentra todo o sabor e frescura que se querem para o verão, podendo ser acompanhado de petiscos como tortilhas de tártaro de atum com guacamole e molho agridoce, ou um clássico camarão «à guilho». Está dado o mote para subir ao terraço do Sud Pool Lounge, inserido no Sud Lisboa Terraza, em Belém, e passar umas boas horas frente ao rio Tejo.

S. FRANCISCO (8 euros): Licor grenadine, sumo de pêssego, laranja e ananás

3 | Electric Shaker: Um bar de combinações improváveis

O azul-elétrico decora as paredes e sofás em veludo, mas o que se serve no copo tem cores mais quentes e veranis. É o caso do exótico Electric Lady, um dos cocktails de autor do Electric Shaker, o novo e descontraído bar que acaba de abrir perto do Marquês de Pombal. Tem como base rum e mistura licor de maracujá, licor de amora, sumo de ananás, xarope de canela e maracujá fresco, tanto dentro do copo como no topo, a decorá-lo. A sazonalidade e a fruta de época são uma das inspirações de Luís Garcia, bartender e um dos donos do espaço, em conjunto com dois amigos de longa data, um dos quais seu parceiro na abertura do Hard Rock Café Lisboa, há mais de 15 anos.

O espaço nasceu para «desmistificar e dar conhecimento sobre as espirituosas» e isso faz-se, também, apostando em «combinações pouco habituais» na sua base, a razão que levou Luís a criar o Recife. É uma bebida fresca e em tons rosados, que junta mezcal e cachaça como protagonistas, e leva ainda Campari, xarope de baunilha e sumo de toranja.

ELECTRIC LADY (11 euros): Rum, licor de maracujá, licor de amora, sumo de ananás, xarope de canela, maracujá fresco

RECIFE (10 euros): Mezcal, cachaça, Campari, xarope de baunilha, sumo de toranja

4 | Oficina do Duque: Vinho verde e mel a gosto

Rui Rebelo nunca diz «não» a um desafio. De tal forma que quando o enólogo do 1000 Curvas – produtor de vinhos verdes sediado na Quinta da Castanheira, entre a Região Demarcada do Douro e a Região dos Vinhos Verdes – o desafiou a criar um cocktail com aquele vinho, não perdeu tempo. «É um vinho verde diferente, feito com uvas Chardonnay (e Alvarinho) e que fica lindamente» neste cocktail, explicou.

Assim nasceu o 1000 Curvas Honey, cuja receita leva também lima, gengibre e bitter lemon, conseguindo um interessante equilíbrio entre acidez e doçura. Para reforçar este último sabor, o conselho é mergulhar o chupa de mel na bebida, finalizando-a a gosto.

Este é um dos três novos cocktails criados pelo inventivo chef Rui Rebelo. Os outros são o Vodka Basil (que já existia, mas foi revisitado), feito com manjericão em sorvete e em folhas, pepino, lascas de maçã verde e vodka; e o Tequila Cherry, uma combinação de melancia, cereja, licor de cassis e ruibarbo com tequila. Eram para ser «um amor de verão», mas o público tem-nos recebido tão bem que provavelmente entrarão para a carta.

1000 CURVAS HONEY (6,50 euros): Chardonnay 1000 Curvas, lima, gengibre e bitter lemon

VODKA BASIL (7 euros): Manjericão em sorvete e em folhas, pepino, lascas de maçã verde e vodka

5 | OKAH Restaurante & Rooftop: Dupla de maçã verde e aipo

Apple Breeze Martini (Fotografia: DR)

Okah Negroni by Chico (Fotografia: DR)

Francisco Maior ainda está a conhecer os cantos à casa, no Okah Restaurante & Rooftop, mas quando ali chegou já tinha bem presente que ingredientes utilizar num dos seus novos cocktails. Neste caso, maçã verde e aipo. «Frescura máxima. A maçã verde é muito fácil de trabalhar porque não é muito doce», e acidez que lhe é característica joga bem com os restantes ingredientes, explica, enquanto vai fazendo o Apple Breeze Martini naquele terraço com vista para o rio Tejo.

Ao xarope de maçã junta vodka, aipo, xarope de açúcar, sumo de limão e clara de ovo pasteurizada, cuja espuma ajuda a finalizar a bebida visualmente. Se o cliente quiser, pode ainda adicionar gengibre. «Procuro estar em sintonia com o restaurante em relação aos produtos que utilizam», explica o bartender de 32 anos, e que antes de chegar ao Okah passou pelo Rabo de Peixe e por outros espaços em Lisboa. Aqui, tendo chegado há pouco mais de dois meses, tem toda margem para criar e deixar a sua marca. O Okah Negroni by Chico é também um bom exemplar destas novidades.

APPLE BREEZE MARTINI (10 euros): Vodka Sky, xarope de maçã, aipo, clara de ovo, gengibre, xarope de açúcar e sumo de limão

OKAH NEGRONI BY CHICO (12 euros): Campari aromatizado com morangos, Vermute aromatizado com lavanda e gin Big Boss

Pera Bêbeda e Boss Umami (Fotografia: DR)

6 | ROOF 61: A frescura do pepino e a riqueza do moscatel

Frutado, vegetal, doce e amargo. «No meio desses quatro agentes nasce o quinto sabor» – o sabor umami -, explica Rúben Pinho enquanto serve o Boss Umami, um dos oito novos cocktails que elaborou, da sua cabeça, para a carta de cocktails de verão do Roof 61. Neste, a estrela é o pepino, do qual Rúben faz uma calda, e à qual junta sumo de limão, flor de sabugueiro e um agente floral. A clara de ovo – apesar de pouco consensual, já se sabe – confere à bebida um aspeto mais consistente e ajuda a equilibrar a lasca de pepino e as pétalas de rosa colocadas decorativamente.

Em absoluto contraste cromático e de sabor surge o Pera Bêbeda, homenagem a dois produtos nobres da região de Setúbal, de onde Rúben é natural – o moscatel e o vinho. «É uma interpretação da sobremesa clássica, feito com calda de canela, moscatel, vinho 100% castelão e sumo de pera. O moscatel liga o sabor do vinho ao sumo de pera», explica. O resultado é uma bebida cremosa na boca e pode ser experimentado enquanto se olha, do terraço, para toda a Avenida Luísa Todi ou para o rio Sado, a Arrábida e Tróia. A frescura do verão em todos os sentidos.

PERA BÊBADA (8 euros): Calda de canela, moscatel, vinho 100% castelão e sumo de pera

BOSS UMAMI (8 euros): Pepino, sumo de limão, flor de sabugueiro, agente flora, clara de ovo

Partilhar
Morada
Praça da Alegria, 66B (Avenida da Liberdade), Lisboa
Telefone
211364241
Custo
(€) Cocktails dos 8,50 aos 13 euros.
Horário
Das 15h30 às 22h30.


GPS
Latitude : 38.71825108106281
Longitude : -9.144802850227734
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Morada
Av. Brasília, Pavilhão Poente (Belém), Lisboa
Telefone
211592700
Custo
(€€) Preço médio: 50 euros.
Horário
Das 08h00 às 02h00. Não encerra.


GPS
Latitude : 38.696598
Longitude : -9.191959999999995
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Partilhar
Morada
Calçada do Duque, 43A (Chiado), Lisboa
Telefone
210996354
Custo
(€) Preço médio da refeição: 25 euros por pessoa (com bebida).
Horário
Das 15h30 às 23h. Não encerra.


GPS
Latitude : 38.7132959
Longitude : -9.142262800000026
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica
Partilhar
Morada
Avenida Luísa Todi, 61, Setúbal
Telefone
265533144
Custo
(€) Cerveja: 2,50 euros; cocktails de autor a 8 euros.
Horário
De terça a quinta-feira, das 18h00 às 01h00. Sexta e sábado, das 17h00 às 02h00. Domingo, das 14h00 às 20h00.


GPS
Latitude : 38.5226094
Longitude : -8.890331599999968
Partilhar
Mapa da ficha ténica Mapa da ficha ténica

Leia também:

11 cocktails para provar no Grande Porto este verão
10 bares em Lisboa com bebidas que marcam pela diferença
Há um novo templo de francesinhas: da tradicional à de picanha, camarão e leitão




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend