Musa: Cerveja rock n’ roll nasceu no bairro de Marvila

Bruno Carrilho e Nuno Melo produzem a Musa em Marvila, Lisboa, e viajam pelo país como se andassem em digressão, qual banda de rock n’ roll, apresentando em tom de festa as suas cervejas: Mick Lager, Born in IPA, Red Zeppelin e Twist and Stout. A próxima festa é no Café ao Lait, Porto, dia 11 de fevereiro. Em palco estarão Gala Drop e Blacksea Não Maya.

Uma temporada passada nos Estados Unidos entusiasmou Bruno Carrilho para as cervejas artesanais. «Quando vivi lá, o movimento da craft beer estava em crescimento», conta. O «bichinho» ficou em estado latente até que Bruno conheceu Nuno Melo. Trabalhavam os dois em consultoria e, confessam, estavam interessados em mudar de vida. É então que certo dia, numa viagem entre Lisboa e Porto, descobriram que apreciavam música e que tinham alguns gostos em comum.

Bruno lançou a ideia de fazerem cerveja e Nuno, que nem era um grande apreciador, acabou por se render. A combinação entre a música e a bebida não podia ser mais indicada. Só havia um «pequeno» problema: nunca tinham produzido cerveja nem sabiam como fazê-lo.

Aqui reside uma das principais diferenças entre a Musa e outras cervejas artesanais. A maior parte dos atuais produtores começaram por fazer cerveja em casa e depois fizeram do passatempo negócio. Na Musa, o processo foi oposto. Com a ideia na cabeça, precisavam de alguém para fazer as cervejas que idealizaram. A solução foi abrir um concurso internacional para contratar um mestre-cervejeiro, isto após terem feito uma viagem para contatarem de perto o meio da cerveja artesanal, pelos EUA e Espanha.

Das cem candidaturas de mestres-cervejeiros que receberam optaram pelo norte-americano Nick Rosich.

Optaram por um processo de recrutamento global mas esperavam arranjar alguém de Portugal. Não aconteceu. Das cem candidaturas que receberam, selecionaram o norte-americano Nick Rosich, de Pittsburgh. Convidaram-no a vir a Portugal. Nick, descendente de alemães e irlandeses, com aspeto de «viking gigante e um pouco tímido, saiu de Pittsburgh com neve e chegou a uma Lisboa soalheira». O clima ajudou e a relação funciona até hoje. Com Nick, criaram a Born In The IPA, a Red Zeppelin Ale e a Mick Lager, cervejas lançadas em 2015. Recentemente, a família da Musa aumentou, com o lançamento da Twist and Stout, mais um nome que remete para o universo musical.

Em 2016, dedicaram-se à promoção da cerveja, tendo sempre a música como atração. A próxima festa vai acontecer no Café au Lait, Porto, dia 11 de fevereiro. A Musa Mash conta com a atuação de Gala Drop e Blacksea Não Maya. As novidades não ficam por aqui. Em breve, em data ainda a defini, a Musa vai abrir uma taproom na sua fábrica em Marvila. O rock n’roll está garantido.


As Musas

Born in the IPA: É uma indian pale ale com cor alaranjada e ligeiramente turva. O sabor é amargo mas equilibrado e com notas de citrinos, manga e melão. Fica bem com comidas fortes, do chouriço assado à comida tailandesa, passando pelo chili.

Red Zeppelin Ale: É uma red session IPA, mais leve em termos de amargor do que a IPA. Os aromas lembram pinho, pêssego e laranja. O final de boca é seco e amargo. Vai bem com carnes vermelhas e peixes.

Mick Lager: É uma hoppy lager. Cerveja delicada e fácil de beber. Notas de malte e de lúpulos alemães. Bebe-se bem com comida que sabe a mar – como percebes – ou a fumo.

Twist and Stout: É uma oat stout. Cerveja preta com aroma de maltes torrados, caramelo, café, aveia e chocolate. Acompanha bem petiscos tão diferentes como ostras, queijos azuis e sobremesas com fruta e chocolate negro.