Tá Berna no Bairro Alto tem copos e bons petiscos

Este bar decorado com pinta, com quase tudo reaproveitado da Feira da Ladra (e do lixo) assegura petiscos até às três da manhã no Bairro Alto.

Dois amigos criaram o Tá Berna onde os cocktails se aliam aos pratos, com uma carta que vai crescer.

Bancos de salas de cinema, pernas de manequins de loja «tatuadas», telefones de disco, máquinas de filmar suspensas no teto, e placas com frases sugestivas como «O que acontece na casa de banho, fica na casa de banho» ou «Viver sem amigos não é viver». Uma decoração com atitude, irreverente e vintage, ou não tivesse o bar Tá Berna, no Bairro Alto, aberto a 24 de abril, véspera do feriado que une história e liberdade.

«Os objetos vieram todos da Feira da Ladra, da garagem do meu pai ou mesmo do lixo. É preciso é imaginação», explica Bernardo Magalhães, que, com apenas 26 anos, gere o bar a meias com o amigo Daniel Teixeira, 27. A ideia foi clara desde o início: numa zona muito apoiada nas bebidas alcoólicas e nos restaurantes com cozinhas que fecham às 23h00 ou perto disso, ser uma alternativa, oferecendo petiscos até às três da manhã. «A partir de uma hora, só há álcool nesta zona. Faltava um espaço assim», conta Daniel.

As tábuas de queijos, de presunto, de enchidos ou mistas, chouriço assado no barro (a partir de 9€) e tostas mistas (a partir de 4,5€) são os petiscos disponíveis neste momento, mas a partir de fevereiro há novidades. «Vamos criar uma pequena cozinha e servir alguns quentes, como bifanas, pregos, ovos mexidos com farinheira, hambúrgueres e saladas», antecipa Bernardo Magalhães. No próximo mês haverá também shisha de melancia, meloa, menta e uva.

Nas bebidas, a cerveja a um euro apela a muitos jovens à noite mas os sócios revelam que as caipirinhas e os mojitos são muito populares, para além dos sumos naturais e cocktails alcoólicos com fruta fresca. Mas o ex-libris do Tá Berna é o cocktail com o mesmo nome (8€), cujos ingredientes recusam revelar, ou não fosse o segredo a alma do negócio. «Só damos uma dica: leva vinho do porto. Muitos pedem-nos a receita, mas não damos», atira Daniel Teixeira.

Um negócio com os seus segredos mas com uma forte componente familiar. A mãe de Bernardo, Teresa Magalhães, é quem gere o alojamento nos andares por cima do bar, as My Bairro Alto Suites (ver caixa). E a avó Fernanda também está envolvida, mesmo sem saber. É ela quem faz os doces (pêssego, tomate, ameixa, etc) que acompanham as tábuas de queijos e enchidos. «Sempre que a visita, vou à despensa e roubo-lhe um jarro de doce», ri-se o neto.

Um negócio 2 em 1

O My Bairro Alto Suites é composto por cinco apartamentos, um por andar. Há quatro quatros duplos e um single, com preços a partir dos 70 euros na época baixa. Cada um está equipado com cozinha e um chuveiro com rádio incorporado. Um negócio certeiro na zona certa. «No verão, a taxa de ocupação foi de 98%. Mesmo em janeiro, estamos cheios», contam os sócios. Nos meses de sol e calor, há um terraço perfeito para se relaxar com vista panorâmica para o Castelo de São Jorge e para a Margem Sul.

Partilhar
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Travessa dos Fiéis de Deus, 71, (Bairro Alto) Lisboa
Telefone
913415745
Horário
Das 18h00 às 02h00; sexta e sábado até às 03h00. Encerra segunda.
Custo
(€) Preços: cerveja a um euro; cocktails, vodkas, gins e whisky na partir de seis euros.


GPS
Latitude : 38.7117732
Longitude : -9.145576300000016

Leia também:

Um bar inspirado nos anos 1920 no centro de Lisboa
Abriu um novo bar com alma de poeta em Lisboa
O lisboeta Red Frog foi eleito o melhor bar de Portugal