As quentes e boas não vão só com água-pé. Sete vinhos para beber com castanhas

A estalar nas brasas como reza o fado, cozidas com ervas a gosto, envoltas em açúcar ponto pérola, não há um português que consiga resistir à castanha da época. É sempre bom dar uma volta pelos vinhos que aí estão para abrilhantar a estação. Uma crítica de Fernando Melo.

Já foi acompanhamento e fundo de cozinha como hoje é a batata, é abundante e gostosa, e dá-nos grandes alegrias ao pé de uma lareira, com um copo de vinho, no debulhe familiar. As castanhas são tradicionalmente acompanhadas com água-pé, bebida que resulta da fermentação induzida do que fica no fundo dos lagares. Mas também gostam de uma boa jeropiga, vinho fortificado e primo afastado do vinho do porto.

Mais do que altura, contudo, para olhar para o que se está a produzir e pode ajudar à leitura da castanha. É preciso sobretudo frescura no vinho, o que implica estrutura bem trabalhada e uma acidez adequada, mesmo quando há um grau alcoólico apreciável. Propomos-lhe uma variedade grande para fazer as experiências por si, em boa companhia. Boas provas!