8 vinhos portugueses para acompanharem pratos de carne

O que beber quando chega à mesa um cozido à portuguesa ou um leitão assado? A resposta está aqui, nesta lista de oito vinhos nacionais.

A carne está desde os tempos mais recuados associada à mantença e sobrevivência humanas, seguindo a tradição caçadora que nos antecede. É verdade que devemos tentar diminuir o consumo de carne, mas não é menos verdade que ela permite ligações felizes e bem testadas por sucessivas gerações. Desde a simples febra de porco grelhada, até ao assado mais complexo de capão à Freamunde, as opções são muitas, e nós gostamos da escolha e da sensação de abundância. Os vinhos portugueses prestam regra geral bom serviço.

Aphros Vinhão Vinho Verde tinto 2014 | Vasco Croft
Costeleta de vitela maturada 4 semanas. As notas de maturação fazem-se sentir na estrutura que a carne adquire por acção do calor das brasas. O vinho acompanha e corta na perfeição as gorduras maturadas.

Quinta dos Murças Douro Margem tinto 2015 | Esporão
Diz-se que o vinho do Douro – outrora vinho de pasto – existe para acompanhar vitela assada. Aqui está um bom exemplo da bondade da ligação. Para experimentar com vários condimentos.

Casa da Carvalha Dão Reserva 2011 | Tomaz Rocha
A chanfana, tão típica da região de Arganil, onde este produtor do extremo sul do Dão produz os seus vinhos, casa bem com este reserva de estrutura firme, sem prejuízo do rendimento aromático.

Quinta dos Abibes Sublime Bairrada tinto 2010 | Quinta dos Abibes
Fabulosa companhia para um leitão assado à moda da Bairrada. Se é certo que nalguns casos o espumante acompanha bem, este vinho é sublime na assessoria à fina e delicada carne do bacorinho.

Terra Silvestre Tejo tinto 2015 | Agro-Batoréu
Vinho indicado para o cozido à portuguesa, com todas as suas nuances de sabor, consistência e textura. A frescura que apresenta assegura companhia boa e prazer à mesa, com este praro típico.

Casa Santos Lima Syrah Lisboa tinto 2013 | Casa Agríc. Santos lima
Magret de pato na frigideira. Há muitas formas de produzir o magret, mas esta permite um controlo apreciável do ponto de cozedura e da finalização da peça. Boa harmonização.

António Saramago Superior Península de Setúbal tinto 2010 | AS Vinhos
Mão de vaca com grão. A goma do caldo resultante da fervura lenta vai criara um fundo ligado, que este vinho adora cortar e resolver, sem todavia pesar. Boa harmonização.

Júlio B. Bastos Alicante Bouschet Alentejo tinto 2012 | Júlio Bastos
Naco de novilho barrosão nas brasas, mal passado como tem de ser qualquer boa peça de bovino quando submetido ao calor da grelha. Vinho divinal, a acompanhar na perfeição.