18.68 é o novo bar de cocktails aperitivos para começar a noite, no Chiado

Paulo Gomes é um dos rostos do novo 18.68, no Chiado. (Fotografia de Leonardo Negrão/GI)
Paulo Gomes e Emanuel Minez, sócios-fundadores dos premiados bares Red Frog e Monkey Mash, ambos na Praça da Alegria, subiram até ao quarteirão do Bairro Alto Hotel para reabrir o 18.68. Agora, focados na coquetelaria clássica e nos aperitivos ao estilo mediterrânico.

“Este é o nosso primeiro bar com janelas”, comenta Paulo Gomes como que perscrutando a luz que entra pelas janelas da sala virada para o Largo Barão de Quintela. Até aqui habituados à luminância intimista quer do Red Frog quer do Monkey Mash – os bares que partilham, desde 2021, uma cave na Praça da Alegria – Paulo e o sócio Emanuel Minez abriram dia 4 de junho o novo 18.68. Quem revisitar o espaço verá um novo balcão debruçado sobre a pedra de lioz e as paredes em madeira escurecida e o papel de parede que já existiam.

Desde o momento em que selaram com o Bairro Alto Hotel os termos da gestão do espaço que decidiram criar, para o 18.68, uma oferta diferente da que têm nos outros bares, cujo palmarés de prémios nacionais e internacionais fala por si. Tirando partido da localização, na fronteira do Chiado com o Bairro Alto, apostaram numa carta de cocktails clássicos e aperitivos, esta com duas séries: negroni e martini. Cada uma com cinco opções, algumas com toques de autor, e ambas dando ao cliente a opção de pedir uma dose pequena, quatro pequenas ou a regular.

(Fotografia de Leonardo Negrão/GI)

(Fotografia de Leonardo Negrão/GI)

“Simplificamos tudo à fórmula líquida e servimos diretamente da garrafa, numa taça, sem gelo”, lê-se no menu, que precede um serviço despretensioso, focado no bem-estar do cliente. O sour cherry, por exemplo, é um dos cocktails originais que integra a série negroni e leva London dry gin, bitter aperitivo, porto ruby e ginja. Já na série martini surge o Caper, resultado da mistura de London dry gin, vermute seco e alcaparras, acompanhado por uma alcaparra. Já na gama de clássicos, a oferta dedica-se aos “aperitivos” e aos clássicos modernos, do último século.

Além de bebidas – nas quais se contam ainda dois vinhos, uma cerveja e três fortificados – , o menu tem algumas opções para picar: tremoços marinados, frutos secos, azeitonas marinadas, presunto de porco preto com 24 meses de cura e queijo DOP Açores com 24 meses de cura. O nome do bar remete para o ano de fundação da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lisboa, neste mesmo local, e a mais antiga do país, criada por vultos da ciência, do comércio e da aristocracia numa época em que Lisboa foi acometida por vários incêndios.

Emanuel Minez (à esq.) e Paulo Gomes. (Fotografia de Leonardo Negrão/GI)

Partilhar
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Largo Barão de Quintela, 12 (Chiado), Lisboa
Horário
De terça a sábado, das 17h às 01h.
Custo
(€€) Cocktails a partir de 10 euros.


GPS
Latitude : 39.3999
Longitude : -8.2245




Outros Artigos





Outros Conteúdos GMG





Send this to friend