Quiz #17: «O paladar educa-se desde que nascemos»

Isabel Zibaia Rafael, autora do blogue Cinco Quartos de Laranja e de vários livros de receitas
O ensino faz parte da sua vida mas foi graças ao blogue Cinco Quartos de Laranja, fundado em 2006, que Isabel Zibaia Rafael, natural do Ribatejo e mais conhecida na blogosfera como Laranjinha, agarrou o grande público. Autora de vários livros de receitas, organiza com frequência workshops onde procura transmitir o seu gosto pela cozinha do dia a dia.
Uma cozinha para todos os dias?
Uma cozinha para todos os dias é feita de produtos frescos e da estação. Adoro fazer saladas, sopas e pratos rápidos com muitos legumes para o dia-a-dia. E pão, pão bom, feito com mistura de farinhas e pouco fermento. Alguns jantares de Verão, cá em casa, são feitos muitas vezes com fatias de pão torrado esfregadas com alho e tomate cortado, este temperado apenas com flor de sal, orégãos secos e um fio de azeite. Uma simplicidade cheia de sabor.Na hora de comer fora, o que pesa mais: o fator novidade, a comida, o nome do chef ou o boca a boca?
O boca a boca. Por exemplo, quando viajo por Portugal costumo perguntar aos amigos sugestões para onde ir comer. E normalmente sugerem-me primeiro o prato e depois o restaurante. Por exemplo, quando estive a primeira vez na ilha Terceira nos Açores, levava uma lista de pratos e o nome do restaurante onde os poderia comer. A força da comida, o sabor, impõe-se quando chega a hora de escolher.

Qual o seu ingrediente secreto?
O tomate. Com tomate “tudo” fica melhor, especialmente nesta altura do ano em que nos chega pleno de sabor.

Um prato que não lhe sai da cabeça?
Quando se gosta de comer e de descobrir novos sabores, acaba-se por ter muitos pratos na cabeça! Destaco a sopa de peixe do rio com ovas do chef Rodrigo Castelo; o robalo com bivalves do chef Rui Paula, da Casa de Chá da Boa Nova; e o risotto de peixe Go do restaurante La Trattoria da Romano, em Burano (Itália), que sabor incrível!

Qual o maior trunfo da cozinha portuguesa?
O peixe. Temos o melhor peixe do mundo e cozinhamo-lo com a simplicidade que os bons produtos merecem. Um exemplo, são as nossas sardinhas assadas servidas com uma fatia de pão. Sal, grelha e ficam perfeitas!

O que nunca pode faltar na sua despensa/frigorífico/adega?
Na minha despensa nunca falta azeite, alho, ervas aromáticas e pão. No frigorífico, muitos verdes para saladas, queijos e curgetes. Adoro curgetes! Na adega há sempre um Madeira ou um Porto, para servir depois do café.

Qual a região, ou as regiões portuguesas, que ainda nos vão dar muitas alegrias?
O Ribatejo. Tem produtos fantásticos e é uma região que tem muito para nos oferecer, desde as carnes — como a carne de capado —, azeites, vinhos, mel e produtos hortícolas.

O paladar, educa-se?
O paladar educa-se desde que nascemos. Às vezes é preciso alguma insistência mas aprende-se a gostar, principalmente quando falamos de legumes. Por exemplo, aprendi a gostar de beringela quando a comi grelhada em Itália. O modo como preparamos os alimentos faz toda a diferença. Nos meus workshops procuro chamar a atenção para muitos produtos, maravilhosos, que por vezes precisamos de aprender a gostar. Ensino também muitas dicas para os pais aumentarem o uso de legumes nos pratos que confecionam para as crianças.

Um restaurante que ainda está na sua bucket list?
O Belcanto [de José Avillez].

Um prato com sabor a infância?
A canja de galinha, o frango guisado com massa, que no dia seguinte sabia ainda melhor!

Para saber o que anda a fazer a Isabel Zibaia Rafael, pode consultar o seu blogue.
[Sigam-me também no Instagram para mais estórias visuais]