Uma ilha deserta no Algarve para descobrir a pé

Ilha da Barreta Uma ilha deserta até em agosto para descobrir a pé
O percurso pedonal estende-se por dois quilómetros. (Fotografia de Paulo Spranger/GI)
No ponto mais a sul de Portugal continental ainda é possível encontrar areais desertos, mesmo em agosto. Basta caminhar um pouco.

O acesso só é possível de barco e, por estes dias, vão quase sempre cheios os ferries que, seis vezes ao dia, fazem a ligação entre Faro e a Ilha Barreta. Apesar da enorme afluência de gente, não é nada que se compare com as restantes praias algarvias no mês de agosto até porque a maioria das pessoas se concentra na pequena área de praia concessionada, junto ao único restaurante da ilha. Mal se põe o pé na ilha há duas possibilidades à escolha: ir diretamente para o areal, à esquerda, ou seguir pela direita, pelo percurso pedonal de interpretação da ria e das dunas, que se estende desde o cais, ao longo de cerca de dois quilómetros, até ao cabo de Santa Maria, o ponto mais a sul de Portugal continental.

O caminho desenvolve-se através de um passadiço de madeira sobrelevado, de modo a não danificar os frágeis ecossistemas dunares, acompanhando a zona ribeirinha junto à ria, cujas calmas e límpidas águas impõem, de vez em quando, uma paragem, para um refrescante mergulho. Além da paisagem deslumbrante, pelo caminho podem ainda ser observadas algumas das espécies que fazem do Parque Natural da Ria Formosa um verdadeiro santuário para aves aquáticas. O percurso atravessa depois a ilha, terminando mesmo em frente ao Cabo de Santa Maria, o ponto mais a sul, assinalado com uma curiosa instalação artística, a fazer lembrar uma árvore, construída com restos de madeira vindos do mar. À beira-mar, uma constelação de pequenas conchas parece agora indicar o caminho para o paraíso, aqui sob a forma de um areal quase deserto, que se estende ao longo de quase 9 quilómetros. Agora sim, é finalmente tempo de estender a toalha.

Além dos ferries, outro modo de chegar à Ilha Barreta é fazendo o Circuito da Natureza no catamarã Sultana. Realiza-se duas vezes ao dia (às 11h30 e às 15h) e conta com um guia profissional que, ao longo do passeio, fala sobre a biodiversidade local, as atividades tradicionais, a história de Faro e a observação de aves. Custa 30 euros e inclui o regresso no ferry, caso se deseje aproveitar o resto do dia na ilha.

 

Leia também:

Descobrir o Algarve escondido entre refúgios no barlavento
Ilha Deserta: paraíso no Algarve com um único habitante
5 parques aquáticos no Algarve para visitar este verão