A Madeira tem um novo recife artificial

Afundada em julho, ao largo da ilha, a corveta General Pereira d’Eça é o mais recente polo de atração para praticantes de mergulho no arquipélago da Madeira.

Depois de décadas ao serviço da Marinha Portuguesa, a corveta General Pereira d’Eça tem agora uma nova missão. Construído em 1970, o velho navio de guerra foi afundado no passado dia 13 de julho, ao largo de Porto Santo, com o objetivo de albergar um recife artificial, onde estão preparados quarenta sítios para monitorização de espécies, tornando-se mais um polo de atração para os praticantes de mergulho no arquipélago da Madeira.

Este local junta-se aos mais de trinta spots já identificados na região para a prática desta modalidade pelo Scuba Diving Madeira – um projeto resultante da parceria entre a Associação de Promoção da Madeira e os hotéis com centro de mergulho em ambas as ilhas madeirenses que tem como objetivo promover o turismo subaquático no arquipélago. Com um clima ameno durante todo o ano e uma temperatura média da água do mar entre os 19 e os 22 graus, a Madeira é desde há muito considerada um paraíso para os mergulhadores, que têm agora, através do website Scuba Diving Madeira, todo o acompanhamento e informações necessários para mergulhar em total segurança.

Como acontece neste novo recife artificial, a 30 metros de profundidade, resultante da submersão de um navio de 1.438 toneladas e 85 metros de comprimento, ao qual foi retirada toda e qualquer matéria poluente e que os mergulhadores podem agora explorar e atravessar em toda a sua extensão, tendo apenas como companhia a rica fauna subaquática do cristalino mar madeirense.

 

Web: scubadivingmadeira.com