Chefs e TAP levam às alturas os sabores portugueses

TAP e chefs
Os chefs nacionais e Fernando Pinto, diretor executivo da TAP
Não é de hoje que a TAP promove a bordo a cozinha e os vinhos portugueses, mas, a partir de setembro, a companhia aérea vai passar a servir pratos assinados por seis chefs nacionais.

Taste the Stars. O nome da iniciativa é em inglês, mas o propósito da TAP não poderia ser mais ao gosto nacional: a partir de setembro, com o pretexto «de levar o melhor de Portugal ao mundo», a companhia aérea vai passar a ter todos os meses, quer na económica quer na executiva, um prato assinado por seis chefs lusos.

«Não é de agora que a TAP promove a cultura portuguesa, no que se inclui a cozinha e os vinhos», adianta Fernando Pinto, presidente executivo. Ainda assim, a transportadora, com uma média anual impressionante de 14 milhões de refeições e 1,2 milhões de garrafas de vinho servidas a bordo, quer ir mais longe e fazer com que, no seu universo de 12 milhões de passageiros, «cada vez mais pessoas venham a conhecer a excelência da nossa gastronomia». Para isso foi dada carta branca ao chef Vítor Sobral, consultor gastronómico da TAP há quase 16 anos e um dos principais responsáveis «por levar mais sabor à comida de avião», para convidar cinco outros chefs portugueses a integrar o projeto e a se comprometerem com o manifesto Portugal revela-se através da Cozinha.

Rui Paula, José Avillez, Henrique Sá Pessoa, Rui Silvestre e Miguel Laffan, todos eles ao comando de restaurantes galardoados com estrelas Michelin em diferentes pontos do País, foram os escolhidos para «ajudar a desvendar o segredo que ainda é Portugal através da cozinha».

Cada um dos seis chefs vai criar pratos que façam não só jus ao seu estilo, mas também aos produtos e às regiões onde estão inseridos, como fez questão de salientar Rui Paula, um embaixador assumido dos sabores do Alto Douro e de Trás-os-Montes. Já Avillez, um cicerone recorrente quando se fala de Lisboa, insiste na ideia de «um segredo partilhado com mais pessoas» e de como é importante para os nossos cozinheiros e para a nossa cozinha ter acesso «a uma plataforma como a TAP, que permite ter a atenção das pessoas por muito mais tempo, coisa rara nos dias de hoje».

Reunido o «dream team da gastronomia nacional», como lhe chamou Sá Pessoa, só falta agora descolar. O céu é o limite.

Veja também:

Gelados açorianos em voos da TAP
Ponta Delgada: o paraíso açoriano para se visitar sem pressas
Portugal tem 26 estrelas Michelin. Saiba onde estão



CONTEÚDO PATROCINADO