Um resort rodeado de natureza e colado à Serra da Estrela

Aberto desde setembro, o Aqua Village Helth Resort & Spa é um hotel de cinco estrelas que tenta preencher uma lacuna na região. As gotas de água servem de logótipo e de local de contemplação no meio de um choupal.

Aqui é para meter água. Não no sentido negativo, de fazer asnei­ra, mas pelo lado positivo de que água é vida. O Aqua Village pro­porciona várias experiências em que a água é o elemento dominante – a come­çar pela localização, junto ao rio Alva, em Cal­das de São Paulo, no município de Oliveira do Hospital, e já colado à serra da Estrela.

E é jun­to ao curso de água num choupal bucólico que a natureza ali se mostra mais deslumbrante, e em que o outono se manifesta com mais con­vicção, com folhas que caem no chão a cada sopro de vento mais forte. É também aí que es­tão instaladas duas gigantes gotas, pendura­das no meio das árvores, que no futuro serão local de contemplação e descanso em contac­to com a natureza, uma aposta arrojada de dois Franciscos Cruz, pai e filho, um, o proprie­tário, e o outro, o diretor-geral. Ambos com uma enorme disponibilidade para contarem a história deste recente projeto.

Mas por muito que a envolvente natural seja perfeita para o descanso, não há melhor para recarregar baterias do que uma boa noi­te de sono. Os apartamentos, que são de ti­pologia T1 e T2, têm conforto de sobra pa­ra que nem a calma nem o sossego sejam afetados.

Com boas dimensões, cada apartamento tem uma sala e uma kitchenette, precisamente pa­ra proporcionar momentos em fa­mília. Aliás, o resort está vocaciona­do para esse convívio familiar e para que as crianças possam movimen­tar-se em segurança, dispondo ain­da de sala de cinema, também a pen­sar nelas. Nos apartamentos, além do tamanho considerável, há que destacar um pormenor que faz toda a diferença: as almofadas. É verdade que cada um tem o seu gos­to, uns preferem mais macias e baixas, outros mais duras e altas. Estas parecem estar num perfeito meio-termo, oferecendo grande conforto e uma noite bem dormida.

Durante o dia, há duas boas op­ções: não fazer absolutamente na­da além de passear junto ao rio ou aproveitar o spa do resort. Am­bas são boas sugestões, sendo que a primeira não tem muito que se diga, a não ser que se vá na época balnear e se faça proveito da praia fluvial existente no terreno do hotel. A segun­da opção já é outra história. Em particular com a vinda de dias frios e chuvosos.

O spa tem du­as piscinas (e há uma terceira, exterior, diante do bar do hotel), ambas aquecidas, uma de água termal – boa para a pele e para os ossos – a 34 graus, outra por debaixo do edifício mas aberta para o campo, a 38 graus. Além das apetecíveis piscinas, sem deixar o elemento água, há tam­bém duches quentes e frios, banheira de hidro­massagem, duche escocês (com jatos à distân­cia), duche Vichy de água termal a duas ou qua­tro mãos, duche com queda de água de 7 metros, e ainda o equipamento anticelulítico Hydromel Watermass. E, claro, há gabinetes de massa­gens, tanto individuais como para casais, sala de relaxamento com vista para o choupal e ginásio. O hotel também quer posicionar-se na área dos eventos, e para isso tem uma sala de congressos com capacidade para 150 pessoas.

À noite, não há duas opções. Há que jan­tar. E a experiência gastronómica compensa quem se coibiu de sair de portas. O hotel tem um restaurante de autor, o Roots, com a assina­tura do chef brasileiro Anderson Miotto, vindo do Sana Myriad, em Lisboa. «Recriamos a co­zinha da região para um conceito que seja úni­co», começa por sublinhar. «Usamos produtos da zona, neste outono vamos usar figos, cas­tanhas, medronho. A região centro tem mui­to potencial, mas ainda se sente alguma ca­rência gastronómica de um certo nível», diz.

Sem pretensão de transcrever toda a carta, eis boas sugestões a trazer em mente: creme de cogumelos, tartare de ostras com salada de pepino, a empada de pato com bouquet de ro­manesca, e, de sobremesa, sopa de morangos com sorvete de poejo. Na carta de vinhos, ape­sar de todas as regiões estarem contempladas, a aposta, como não podia deixar de ser, é no Dão. O hotel tem um bar, com coquetelaria de autor, e fica por baixo do restaurante em frente à piscina exterior. É o local ideal para terminar a noite.
Piódão

A menos de 30 quilómetros do Aqua Village (cerca de 45 minutos de carro) fica Piódão, uma das mais carismáticas aldeias históricas de Portugal – e um pitoresco cartão-postal da região, com as sua tradicionais casas com paredes de xisto, janelas e portas pintadas de azul e tetos cobertos com lajes numa encosta da serra do Açor.

Na aldeia, o maior destaque vai para a igreja matriz, do século XVII, um dos poucos edifícios de paredes brancas e que também por isso se destaca na paisagem. Há algumas lojas de artesanato onde se pode comprar casinhas de xisto em miniatura, o famoso licor local e ainda as cajadas (não confundir com queijadas) de Piódão.

 

Evasões Recomenda

Ficar

Aqua Village Health Resort & Spa
Avenida Principal, 5, Caldas de São Paulo, Pena de Alva Tel.: 238249040Web: aquavillage.ptQuarto/apartamento duplo a partir de 135 euros por noite (inclui pequeno-almoço)

Comer
Roots Restaurant & Bar
Aqua Village Health Resort & Spa
Avenida Principal, 5, Caldas de São Paulo, Pena de Alva Das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 22h30Preço médio: 35 euros; 25 euros (menu executivo)



CONTEÚDO PATROCINADO