Santa Maria da Feira: Há festa no castelo

No ano em que a Viagem Medieval faz 20 anos, mostramos o que pode fazer nesta recriação da época do rei Dom Dinis e o que há de novo na cidade.

De 27 de julho até 7 de agosto, o centro histórico de Santa Maria da Feira veste-se a rigor e transforma-se num reino medieval, com príncipes e princesas, cavaleiros, nobres e homens do clero, artesãos e membros do povo, naquela que é uma das maiores recriações históricas do país.

O reinado de Dom Dinis, o rei lavrador, é evocado em espetáculos que encenam momentos como a assinatura do Tratado de Alcanizes, a tentativa de usurpação do trono pelo seu irmão ou ainda o milagre das rosas da rainha Santa Isabel. Tudo acontece em redor do castelo, no alto da cidade. E à volta da festa, há alguns lugares para provar algumas delícias feirenses.

 

À VOLTA DA FESTA:

Café Castelo
Ir a Santa Maria da Feira e não comer fogaça é algo que não deve acontecer. A oferta do pão doce modelado em forma de castelo a S. Sebastião no século XIV para que livrasse o povo da peste, ainda hoje se pratica e a receia foi preservada. O Café Castelo coze-as todos os dias num forno a lenha, desde 1943 e o atual dono Diogo Almeida, faz questão que assim seja, mas também criou uma novidade: o gelado de fogaça. No seu café, há também caladinhos, doce típico feirense.

Rua Roberto Alves, 40
Tel: 256362290
Horário: Aberto todos os dias durante a Viagem Medieval

Tasqueiros sem Lei
“É uma tasca à antiga portuguesa”, conforme descreve Catarina Oliveira, uma das donas da casa de petiscos Tasqueiros Sem Lei. Na carta, há pataniscas e punhetas de bacalhau, fígado de vitela, bochecha de porco,  rojões, papas de sarrabulho, migas de bacalhau e sopa de pedra, alguns em dias certos na semana. À sexta, há bolo húmido de chocolate e há sempre maçã assada e leite creme, servido em alguidar de barro. O espaço é decorado à moda antiga, com mesas e cadeiras de madeira escura entre paredes de pedra.

Rua Roberto Alves, 33
Tel: 256025112
Horário: Das 12h às 23h, sexta a domingo até às 02h00, domingo abre às 16h

Loja Chamoa
Chamoa Gomes viveu no castelo da Feira e diz a lenda que teve um romance com Dom Afonso Henriques. O nome desta dama inspirou uma bebida com amoras, morangos silvestres e vinho que se diz apelar ao amor -e é agora a bebida oficial das Terras de Santa Maria. Vende-se em garrafas numa loja diferente.  “É um espaço pensado para que as pessoas possam dar beijos e conheçam a história da Chamoa como se estivessem numa sala de estar”, descreve Miguel Bernardes, o responsável. Rua dos Descobrimentos, loja 2 do Mercado Municipal. Tel: 915556069. Das 10h00 às 19h00, fecha domingo e segunda.

Sala 35
É um bar para ouvir new jazz, deep house, house, música acústica e beber gin, vinhos portugueses a copo, champanhe em flute, e sangria de frutos vermelhos e maracujá. Também há tábuas de presunto, queijo, enchidos. O mobiliário é vintage, com uma velhinha máquina de costura, uma lambreta de 1960 e um gira-discos. É, no fundo, uma sala-bar com lareira e caricaturas da Madonna, Bono Vox, Jimi Hendrix, Rolling Stones, Bob Marley nas paredes.

Rua Elísio de Castro, 3 e 5
Horário: Das 12h às 02h; sexta e sábado das até às 03h, domingo das 15h às 02h

 

XX Viagem Medieval em Terra de Santa Maria
Centro histórico de Santa Maria da Feira
De 27 de julho a 7 de agosto
Web: viagemmedieval.com
Preço: Pulseiras a 5 e 7€, bilhetes diários entre 1,5 e 4€



CONTEÚDO PATROCINADO