Roteiro de inverno para descobrir um outro Douro

Há mais Douro para além do verão. Por estes dias diminui o número de turistas, as temperaturas descem quase até aos zero graus, mudam as cores e a paisagem, mas o poema nunca se desfaz. E há tanto para conhecer.

É compreensível que falar no Douro seja quase sempre falar no Alto Douro Vinhateiro, afinal trata-se de uma zona Património da Humanidade, uma das regiões mais bonitas da Europa (do mundo?), aquilo a Miguel Torga chamou de «poema geológico». Mas o rio não começa e acaba à volta do Pinhão. Tem 210 quilómetros de via navegável em território português – além do Douro Internacional –, entre eles quilómetros e quilómetros de margens, terras e paisagens que continuam a ser uma espécie de nuvem cinzenta em termos turísticos.



CONTEÚDO PATROCINADO